América do SulArgentinaBuenos AiresPelo Mundo

Show de tango em Buenos Aires: como fugir de espetáculo pra gringo ver e arriscar alguns passos

aulas-de-tango-buenos-aires-viajadora

Às vezes, quando a gente procura bem, acaba achando um lugar especial quando viaja, daqueles que só os moradores conhecem e costumam guardar segredo para manter a autenticidade. Foi isso que aconteceu com a minha amiga Marcella Sarubi, que achou um lugar exatamente assim em sua viagem para Buenos Aires e pôde ver – para guardar para sempre na lembrança –  um show de tango autêntico, muito diferente daquelas opções batidas que os hotéis tentam vender para os turistas na cidade. E agora ela conta mais sobre isso e dá as dicas aqui no blog, ó:

“Buenos Aires pode até ser um destino clichê (que a gente ama!), mas ir para lá e assistir tango para gringo ver é um clichê que não precisa fazer parte do seu roteiro. Há opções, acredite, para quem, em vez de uma apresentação caricata – no melhor estilo show de mulatas no Rio de Janeiro, para fazer a comparação – quer algo correspondente à vida real e à tradição da cidade.

Pelas ruas da capital portenha, principalmente em lugares turísticos, há casais fazendo performances de tango ao ar livre, em troca de colaborações dos passantes. Uma apresentação muito mais bonita de se ver do que os espetáculos de tangos “contemporâneos” de Puerto Madero (que, além de tudo, custam os olhos da cara) e das casas de shows que ilustram os folhetos oferecidos nos hoteis com o “combo”: transfer, jantar e show de tango. Por isso, foi a um desses casais dançarinos de rua que perguntei, na praça Dorrego (San Telmo), no último dia de viagem, onde dançariam tango, em uma segunda-feira como aquela. Ao longo da minha estada, interroguei taxistas, recepcionistas do hotel e outros “locais” que cruzaram o meu caminho, sem êxito. Todas as indicações eram distantes ou em datas que eu já teria retornado ao Brasil. Mas no último dia, tive sorte.

A indicação do casal foi o Bendita Milonga, em San Telmo. Um local onde, além de um show de tango mais tradicional, frequentado por pessoas locais, é possível ter aulas de tango antes do show principal. Desconfiei um pouco, afinal, “aulas de tango” me soaram como um convite a gringos desajeitados e curiosos. Mas como era o último dia, arriscamos.

Casais na aula Bendita Milonga buenos aires
As aulas rolando antes do show

Em um sobrado, com escadaria de madeira e espelhos nas laterais, o Bendita Milonga é amplo. No centro, a pista de dança, ladeada pelo palco e por mesas e cadeiras espalhadas em meia lua no restante do salão. Não se trata de uma boate ou um bar, é algo próximo ao conceito que temos de uma gafieira. Isso, uma gafieira de tango em Buenos Aires! As entradas custaram 80 pesos cada (cerca de R$20), independente do fato de você querer ter aulas ou não.

Quando chegamos, por volta das 22h, a aula de tango já tinha começado. Optamos apenas por olhar. Sentamos em uma das mesas ao redor da pista de dança, que nos separava, por uns 20 metros, do palco. No centro da pista, um grupo de umas 20 pessoas em roda e, no meio, um casal de professores. Claro que havia estrangeiros (tanto que a professora faz uma tradução simultânea em inglês do que o dançarino-professor explica), mas me pareciam mais estrangeiros residentes do que a turistada de sempre. O grupo era composto por desengonçados, do tipo “gringo-dançando-samba”, mas também de gente diversa, com cara de local, querendo aprender “os dois pra lá dois pra cá” do tango. O casal-professor simulava e o povo imitava, treinava, trocava de casal, dançava uma música inteira. E, assim, foram até 23h, quando acabou a aula e o show começou.

Aula de Tango em Buenos Aires
Aula de Tango

Apagaram-se as luzes. Ao palco, descobrimos depois, a Orquesta Típica El Afronte, cuja proposta musical é abraçar o novo, sem deixar de lado as tradições do estilo musical portenho, e que, inclusive, foi eleita a “Interés Cultural”, uma espécie de reconhecimento de patrimônio da cultura local. Violinos, violões, violoncelos, contrabaixo acústico e piano tocavam milongas e outras canções, ora acompanhados de um cantor, ora não. Era um show e, claro, havia jogo de luzes e fumaça, mas nada semelhante a um “espetáculo tango-can-can” do qual eu queria fugir.

Já na primeira música, os casais das mesas ao redor (a essa altura a casa já tinha enchido) se levantaram e seguiram para o seu próprio espetáculo, no meio de tantos outros casais. Não eram dançarinos, nem profissionais: era “gente de verdade” dançando tango em Buenos Aires! Achei o show belíssimo, admirei vários casais nas suas próprias interpretações e cumplicidade, a ponto de me arrepiar e me emocionar várias vezes.

Orquestra-Típica-El-Afronte-Show-casais-dançando-tango-em-Buenos-Aires
Show de tango em Buenos Aires rolando e casais dançando

tango-em-buenos-aires

Então, se quiser um tango em Buenos Aires com pegada menos turística e ainda aprender uns passos, vá ao Bendita Milonga. As aulas acontecem às segundas-feiras, de 21h a 23h. No bar, as coisas de sempre: cerveja a preços de bar, justos, não extorsivos. Mas não vá com fome, não há muitas opções de “picadas” (petiscos) no cardápio.”

E para quem quiser uma palinha da Orquesta Tipica El Afronte, tem muitos vídeos no Youtube, como esse:

Onde:

Bendita Milonga

Calle Perú 571, San Telmo, Buenos Aires

Segundas-feiras, das 21h às 23h

Entrada: 80 pesos (+-R$20)


Marcella Sarubi Buenos Aires Argentina

Sobre a autora:  Marcella é jornalista e leitora compulsiva. Leva uma vida pacata, mas sonha mesmo em ganhar a vida viajando e se tatuando mundo afora.

 

 

 


 

Comentários

Tags:

Um comentário

  1. […] Show de tango em Buenos Aires: como fugir de espetáculo pra gringo ver e arriscar alguns passos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *