Cidade do Rio de JaneiroRio de Janeiro

Pôr do sol no Samba do Santa Marta

P9070248

Desde que algumas comunidades do Rio de Janeiro foram “pacificadas” há uns anos, os morros se tornaram uma opção de lazer segura e descolada para cariocas e turistas do mundo todo. São festas com ritmos que vão do funk ao jazz e opções espalhadas pela cidade inteira. Entre elas, uma das mais famosas é a roda de samba do Morro Santa Marta, em Botafogo, aquele onde o Michael Jackson filmou o clipe de “They Don´t Care About Us” em 1996. Tão famosa que até menino Sam, das profundezas do Alasca, já tinha ouvido falar de sua existência e queria ir conhecer – o que fizemos no último sábado, junto com três amigos.

morro1
Esperando na fila do bondinho para subir

A roda de samba “Pôr do Santa”, como é conhecida, completou dois anos em março e acontece sempre no primeiro sábado de cada mês. Começa às 16h e, como o nome insinua, sugere aproveitar a vista lá do alto para ver o pôr do sol na Zona Sul da cidade enquanto se aprecia samba de raiz e cerveja gelada. De todas as vezes que fui lá, nunca consegui chegar cedo o suficiente para fazer isso, e desta vez não foi muito diferente: chegamos umas 18h30 e ficamos quase uma hora esperando a nossa vez de entrar no bondinho do Plano Inclinado, que leva o pessoal lá pro alto do morro. Quando chegamos já era noite, o samba estava a todo vapor e a laje, lotada de gente feliz bebendo e dançando no maior clima de alegria.

A vista do cantinho que arrumamos pra ficar: o varal de alguém e as luzes da Zona Sul
A vista do cantinho que arrumamos pra ficar: o varal de alguém e as luzes da Zona Sul

A laje é pequena e fica tão cheia que nem conseguimos chegar perto da estátua de bronze do Michael Jackson, colocada lá em 2010. Em vez disso, encontramos um cantinho mais tranquilo, com acesso à linda vista e espaço suficiente pra sambar, fofocar, tirar foto, fazer palhaçada, apoiar a cerveja no muro e comer feijoada na maior paz. O clima lá é muito bom, mesmo cheio não tem confusão, moradores e visitantes se entrosam e curtem a festa juntos, tinha até gente com criança de uns dois anos dançando lá no meio do pessoal. É uma coisa bem família, mas, devo dizer, também muito bom para quem vai solteiro em busca de paquera… acho que é o lugar do Rio que mais vi gente bonita (em todas as vezes que eu fui), melhor que qualquer boate da Zona Sul (e de graça!). Vale muito a visita e espero voltar ainda muitas vezes!

o povo bebendo e se divertindo na laje
o povo bebendo e se divertindo na laje
morro2
Paulo, Camila, eu, Sam e o latão bem gelado de Antartica a 5 reais

Como nossas fotos não ficaram lá muito boas para mostrar grandes coisas, coloco aqui um vídeo sobre o evento que achei na página deles no Facebook. Ele mostra bem como é o lugar e a vibe ensolarada que é a cara do Rio, ó:

Aproveitando o ensejo, vai mais um vídeo, esse feito pela vocalista Joana Rychter, frequentadora da roda de samba, sobre a história do Santa Marta, os eventos lá e a relação da comunidade com o asfalto. Muito Interessante:

Roda de samba “Pôr do Santa” – Morro Santa Marta

O morro fica no bairro de Botafogo, com entrada pela Rua São Clemente, na altura do número 307. É bem fácil de ver e não tem erro.

  • Vá de metrô (desce na estação Botafogo e caminha uns 10 minutinhos até lá) ou de ônibus, para não ter de se preocupar com estacionamento. É bem fácil de chegar lá.
  • Tanto o bondinho quanto o acesso à laje são gratuitos.
  • Lá em cima tem barraquinhas e bares vendendo cerveja (latão de Antarctica a R$5), caipirinha e comidas como feijoada (um prato de feiju, arroz, farofa e couve a R$12), caldos, espetinhos e frituras (pastel, salgadinhos, etc). Comemos a feijoada e estava uma delícia!

Dicas:

P9070253
A subida do morro. Tem disposição?
  • Vá vestido de forma simples, despojada e bem fresquinha. Meninas, salto alto nem pensar!
  • Lá é bem seguro e a gente não se sente ameaçado hora nenhuma. Mas como o lugar é bem cheio, evite deixar carteira e celular em bolsos onde é fácil alguém enfiar a mão e pegar sem você perceber. Ficar esperto é sempre bom, né.
  • Se não quiser esperar na fila do bondinho, chegue cedo ou suba o morro a pé. É tranquilo, mas bem alto. Se não quiser subir por conta própria, na entrada do morro ficam umas crianças se oferecendo como guias, você dá uns 5 dinheiros e elas te levam lá pra cima todas contentes.
  • Em volta da laje tem um bar onde tem banheiro, mas a fila é grande e demorada. Por isso, os moradores do entorno aproveitam a ocasião para ganhar uma graninha deixando os visitantes usarem o banheiro de suas casas. Eles são simpáticos e os banheiros, bem limpinhos, vale muito a pena.
  • Pode levar bebida, comida, o que quiser.
  • Quando sentir que a roda de samba está acabando, lá pelas 22h, saia antes do evento acabar de vez, para não encarar uma fila gigantesca na hora de pegar o bondinho para descer.
O barzinho na beira da laje e a fila interminável para o banheiro
O barzinho na beira da laje e a fila interminável para o banheiro

Comentários

Tags:

Um comentário

  1. Avatar

    Oi, Thaís. Legais as dicas sobre o Santa Marta, deu até vontade de ir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *