AlemanhaEuropaPelo Mundo

Alemanha: Roteiro para 3 dias em Dresden

Dresden Alemanha

Com uma história muito rica relacionada à Segunda Guerra Mundial e à Guerra Fria, Dresden é uma das cidades mais visitadas e interessantes da Alemanha. Pensando nisso, pedimos para a jornalista Layla Botelho, que estudou com a gente no colégio e agora está morando lá, escrever um post para o Viajadora com as dicas de moradora para quem for visitar a cidade. E  elas ficaram ótimas! Dá só uma olhada:

Roteiro para 3 dias em Dresden

Dresden tem atrações turísticas para mais de uma semana, porém, a sua vantagem é que, além de ser uma cidade pequena, os pontos turísticos principais são próximos, permitindo que todos possam ser visitados em um único fim de semana. Isso pode até soar um pouco corrido, mas é ótimo para quem está viajando pela Europa e tem pouco tempo para ficar em cada cidade.

Mas antes de pensar no roteiro da viagem, é importante conhecer um pouco da história de Dresden para entender a atmosfera e as atrações de lá. A cidade foi bombardeada em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, quando os alemães já estavam praticamente vencidos pelos Aliados. Cerca de 35 mil pessoas morreram nessa ocasião. Depois, a cidade fez parte da Alemanha Oriental por 40 anos, em uma série de acontecimentos que ainda se reflete na personalidade da cidade e das pessoas.

Quase todas as construções de Dresden foram destruídas na Segunda Guerra Mundial, por isso, até hoje um meticuloso trabalho de restauração está reerguendo a cidade. E ela está ficando cada vez mais linda, tanto que passou a ser chamada de “A Florença do Elba” e agora recebe milhares de visitantes com muita história, arte, museus, belas paisagens às margens do rio Elba e uma arquitetura impressionante. A cada passeio, o visitante irá se familiarizar com a história da construção da cidade, erguida por Augusto, o Forte, e sentirá a intensa atmosfera de recuperação e reconstrução pós-guerra.

Dresden é a capital e a maior cidade do estado da Saxônia, com 540 mil habitantes segundo o censo de 2012, e conta com uma longa história como capital e residência real dos Reis da Saxônia. É impossível passear por aqui sem mergulhar na riqueza histórica e se apaixonar pela cidade! Mas agora chega de conversa e vamos aos passeios:

1° dia em Desden: Zwinger e o Residenzschloss

O tour por Dresden começa na estação de bonde Theaterplatz. Lá, assim que desce do bonde, o visitante se encontra entre o Zwinger e o Residenzschloss.

O Zwinger é uma obra de arte da arquitetura barroca, um grande jardim cercado por um belo palácio. Entrar nos jardins não custa nada, a entrada no palácio é que deve ser paga. Ele abriga três Museus: a Gemäldegalerie Alte Meister, com coleções de quadros do período do Renascimento até o Barroco, incluindo a famosa “Madonna Sistina” de Rafael; o Porzellansammlung (Museu da Porcelana), com mais de 20 mil peças de porcelana; e o Mathematisch-Physikalischer Salon (Salão da Física e da Matemática), que tem uma mostra interessante de relógios históricos, telescópios, modelos astronômicos, bem como os primeiros globos terrestres.

Zwinger em Dresden Alemanha Viajadora
Lindo demais
Layla e Leon no Zwinger Dresden Alemanha Viajadora
Layla e seu marido, Leon, no Zwinger

Já o Residenzschloss é hoje um museu que foi construído do fim do século 15 até o 17 para ser uma residência real. Lá, através do áudio-guia, o visitante pode conhecer as histórias da construção da cidade, as fofocas da vida na corte e como se deu a construção da igreja católica – Hofkirche – edificada quando Augusto se tornou rei da Polônia e teve de se converter ao catolicismo. Dentro do Palácio, é possível conhecer o Münzkabinett (Gabinete de Moedas), a Kupferstich-Kabinett (Coleção de Desenhos e Fotografias), a Neues Grünes Gewölbe, maior Câmara de tesouros do mundo, e a Türckische Cammer, uma das coleções mais antigas e importantes de armas e armaduras reais.

Residenzschloss em Dresden Alemanha Viajadora
O lindo Residenzschloss

Para terminar o dia, caminhando pelo Brühlsche Terrasse (Terraço da Europa), ao descer as escadarias, o visitante caminhará por uma pequena rua de restaurantes (opção do jantar para esse primeiro dia), tendo ao seu final um encontro com a Frauenkirche, um dos símbolos da cidade, e memorial da Segunda Guerra. A igreja foi destruída no duro bombardeio que a cidade sofreu das forças aliadas em fevereiro de 1945. Quarenta e cinco anos depois, em 1990, foi dado início a um plano de reconstrução da igreja, com o suporte financeiro daqueles que a destruíram: Reino Unido, França e Estados Unidos. A edificação toda em pedras aproveitou muitas das pedras originais que foram ao chão no bombardeio. A Frauenkirche é considerada uma das igrejas de maior valor arquitetônico na Europa. Você pode entrar na igreja gratuitamente ou subir até sua cúpula e ter uma bela vista da cidade, por 8 €.

Rua de restaurantes  próxima a Frauenkirche em Dresden Alemanha Viajadora
Rua de restaurantes muito charmosinha, próxima a Frauenkirche. A dica é jantar por aqui.
A igreja Frauenkirche em Dresden Alemanha Viajadora
A igreja Frauenkirche é linda durante o dia
Layla e Leon na Frauenkirche em Dresden Alemanha Viajadora
e mais ainda durante a noite

2° dia em Dresden: Grosser Garten e Pragerstrase

Para um momento de descanso e diversão ao ar livre para adultos ou crianças, o refúgio verde Grosser Garten é ideal. O parque ocupa uma área total de 147 hectares (equivalente a 210 campos de futebol), abriga o Jardim Botânico, que é gratuito; o Zoológico, que abre todos os dias; um trenzinho que dá a volta por todo o parque e a Fábrica da Volkswagem, que mostra como seus automóveis são fabricados e satisfaz os amantes de carros. Em cada esquina do parque tem um mapa e diversas estações de bonde circundam suas entradas.

Grosser Garten Dresden Alemanha Viajadora
Grosser Garten (Foto: wikipedia – Patrick Ribeiro)

Depois de todo esse relaxamento, chega o momento das compras e, para isso, a Pragerstrase é o ideal. Trata-se de uma rua com comércios de roupas, acessórios e restaurantes e que agrada tanto os moradores de Dresden quanto os turistas. Essa rua, a Pragerstrase, é onde está o Shopping Zentrum Galerie e é fácil de chegar caminhando a partir do mesmo lugar onde começamos os passeios no dia anterior. Mas se bater a preguiça, também é possível pegar o bonde e descer na estação “Prager Strasse”.

Prager Strasse Dresden Alemanha Viajadora

Fechando o dia com chave de ouro, a viagem de barco pelo Rio Elba encanta! Tem passeios durante todo o dia, com duração de 1, 2 e 3 horas, é só escolher o seu! Basta descer as escadarias em frente a Hofkirche em direção ao Rio Elba, que lá está o container/bilheteria onde se compram as entradas para os ferries (Elbe Ferries).

O Rio Elba ao anoitecer em Dresden Alemanha Viajadora
O Rio Elba e os ferries, ao anoitecer

3° dia em Dresden: Neustad

Uma boa opção é separar o dia para conhecer a Neustadt (Cidade Nova). Lá, apesar de ser chamada a “Cidade Nova”, é mais antiga que a Aldstadt. Uma opção interessante é a Kunsthofpassage, uma espécie de condomínio com 18 lojinhas e 6 restaurantes, onde os prédios também são atração com suas pinturas inusitadas que apresentam os temas “Os animais da fazenda”, “Pátio da Metamorfose”, “Pátio dos elementos”, “Pátio de luz” e “Tribunal das Criaturas Míticas”.

Para chegar lá é fácil, só pegar o bonde 13 e ir até a Estação “Görlitzer Strasse”.

Kunsthofpassage roteiro Dresden Viajadora
Kunsthofpassage (Foto: Thomas Fankhanel)

E, para concluir o roteiro de três dias, escolha um dos muitos museus que a cidade oferece. Dresden possui um conjunto de museus com riqueza de conhecimento em diversas áreas!

As pedidas mais populares são: O Museu do Transporte, que conta a história da evolução dos meios de transporte aéreos, aquáticos e terrestres; o Deutsch Higiene Museum, que explica em detalhes o corpo humano; e o Museu Militar, uma viagem pela história militar alemã e universal.

Como se locomover em Dresden:

Com uma passagem diária de bonde é fácil percorrer a cidade gastando pouco. O visitante também conta com outras facilidades, como o Dresden-City-Card, que por 30 euros permite a visita aos quase 40 Museus de Dresden. Outra opção confortável é o ônibus de 22 euros que percorre três rotas diferentes e cobre diversos pontos turísticos da cidade. O bilhete é diário e é possível descer e voltar ao ônibus no momento em que quiser durante aquele dia.

E para os mais atléticos, a cidade é muito amigável às bicicletas, sendo quase completamente coberta por ciclovias. Alugue uma sz-bike, as bicicletas públicas de lá, e aproveite!


Sobre a autora

layla botelho

Layla Botelho de Lima é Jornalista e casada. Nasceu em Volta Redonda – RJ, mas se sente mais Niteroiense do que Voltaredondense. Adora ler gibis, livros, folders, páginas na internet, estar com a família, amigos e perto de animais. Viveu dois anos e meio em Buenos Aires – Argentina, país e povo que ama muito. Atualmente vive em Dresden, leste da Alemanha, e voltará para Niterói em outubro, feliz, mas com saudade das ciclovias, tortas de maça e wurst.

 


-> Confira opções de hospedagem em Dresden clicando aqui.


Comentários

Tags:

Um comentário

  1. Avatar

    Estou indo a Dresden amanha, ficarei no hotel em Neustadt. Ficarei ate quinta-feira. Alem dessas dicas teria mais alguma outra? obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *