ÁsiaBangkokTailândia

Onde ficar em Bangkok: Rambuttri Village Hotel

Bangkok é uma cidade enorme, incrível e com muitas opções legais de hospedagem, sem dúvidas. Mas a escolha de onde ficar em Bangkok depende muito do estilo de viagem de cada um. Quem tem um orçamento mais folgado e quer sossego, vai escolher ficar no Riverside, na região ao redor do rio Chao Phraya, que é linda. A Sukhumvit Road é uma das preferidas dos viajantes por ficar bem perto do centro comercial da cidade, perto de muitos shoppings. A região da Silom Road é o centro financeiro de Bangkok, com grande concentração de prédios modernos de multinacionais, grandes empresas e bancos, e é perfeita para curtir a noite. Mas a area queridinha dos mochileiros, e a que escolhemos para ficar, foi mesmo a louca região da Khao San Road.

A Khao San Road é bem famosa e polêmica: lá tem de tudo um pouco, desde artesanato, massagem e insetos comestíveis, até shows de pompoarismo e prostitutas. É lá que os mochileiros do mundo todo se encontram, ao som de música alta e do caos delicioso que toda esta mistura gera. Nós, que adoramos um sossego, chegamos a cogitar ficar em uma região mais tranquila, mas não poderíamos apenas visitar a Khao San como um dos programas turísticos, precisávamos ficar hospedados por lá, para poder ver tudo bem de perto. E ainda tínhamos um outro motivo para ficar ali: a Khao San Road é um dos principais locais de concentração do Festival da Água, que acontece durante o Ano Novo Tailândes, em abril, exatamente nos dias em que estivemos por lá.

Além disso, outro ponto muito bom de se hospedar por ali, nessa região do centro, é poder ir andando para muitas das atrações turísticas que falei neste post, como o Grand Palace, o Wat Pho e o Wat Arun, o que para a gente conta bastante, já que sempre preferimos andar.

A rua escolhida: Rambuttri road

Escolhemos nos hospedar no meio da bagunça, mas não tããão no meio assim. Quando ficamos sabendo da existência da rua Rambuttri, vizinha da famosa Khao San, mas longe o suficiente do barulho dela, decidimos que seria lá que ficaríamos. A Soi Rambuttri tem um clima muito gostoso, cheia de restaurantezinhos, barraquinhas de rua, lojas de massagens, casas de câmbio e tudo o que a Khao San tem, só que em menor número e tamanho.

Durante o dia são muitas barraquinhas de comida – incluindo aquelas de frutas, que fazem sucos maravilhosos na hora com muito, muito gelo – e também barraquinhas de artesanato local. Diferente da Khao San road, ali dá pra caminhar em paz sem ter que ficar falando “no, thanks” para os vendedores que cismam em oferecer alguma coisa. À noite, a rua ganha ainda mais vida com as luzes coloridas dos bares e música ao vivo. Existem muitas opções e para quem quer comer ou fazer uma massagem com mais tranquilidade, a rua vizinha a Khao San é mesmo perfeita.

frente-rua-rambuttri
A rua Rambuttri e o hotel que escolhemos
barraquinha-de-frutas-rua-rambuttri-bangkok
Barraquinhas deliciosas como esta por toda a rua
suco-de-fruta-rua-rambuttri-bangkok
O suco batido com gelo é maravilhoso e baratíssimo, tipo 3 reais este copão
artesanato-bangkok
Mais barraquinhas

O hotel: Rambuttri Village

Uma prima minha falou muito bem do Rambuttri Village Hotel e, considerando a localização e o preço, não tínhamos razão para ficar em outro lugar. O hotel tem um excelente custo-benefício: é muito limpinho, tem duas piscinas no terraço de cada prédio, wi-fi grátis, um restaurante bem bonitinho e gostoso aberto ao público, serviço de lavanderia, massagem (saudade da massagem!), casa de câmbio, farmácia, agência de viagens e até um 7-eleven (loja de conveniência) 24 horas colado nele. Eles também possuem um serviço de guarda-bagagem por 20 bahts (2 reais mais ou menos) por dia e podem agendar táxi para o aeroporto (o táxi do aeroporto para o Rambuttri dá em torno de 400 bahts com o taxímetro ligado).

rambuttri-hotel-bangkok-viajadora
Dois dos prédios do hotel e o jardim do café da manhã no meio
jardim-rambuttri-village-plaza-bangkok
Jardim muito agradável, com laguinho – que não dá pra ver muito aqui – e mesinhas em volta
viajadora piscina terraço rambuttri village
A piscina no terraço é ótima pra refrescar do calor de Bangkok, pena que não fica aberta até tarde (fecha às 18h)
hotel-rambuttri-village-plaza-bangkok
O Rambuttri Terrace, restaurante do hotel, visto da rua Rambuttri
viajadora rambuttri-terrace-dentro
O restaurante visto de dentro e a rua Rambuttri lá ao fundo
comida-rambuttri-terrace
A comida é deliciosa, o preço é bom e eles têm opções tailandeses e mais ocidentais também

Todos os quartos têm ar condicionado, água quente no chuveiro, Tv a cabo, cofre e secador de cabelo, além de isolamento acústico no caso dos quartos virados para a rua – o que é ótimo. Os funcionários são bem atenciosos e falam um inglês que permite inclusive pedir dicas do que fazer na cidade e como ir para os lugares – o que foi bem raro de achar nos outros lugares da Tailândia por onde passamos. Eu também precisei entrar em contato com o hotel antes de sair do Brasil, por e-mail, para combinar a entrega das passagens de trem que tinha comprado (como contei aqui) e eles também foram bem atenciosos por e-mail. Chegando lá, não tive nenhum problema com isso e recebi o envelope com as passagens na hora do check-in. \o/

atendentes recepção rambuttri village onde ficar em bangkok
Atendentes muito simpáticos

Os quartos

Tivemos dois momentos em Bangkok, um no começo e outro no fim da viagem. Na chegada reservamos o quarto duplo mais simples, chamado Duplo Superior. O quarto é realmente bem simples, mas justamente o que queríamos já que a ideia era mesmo só dormir no hotel e aproveitar bastante a cidade. A única coisa mais chatinha deste quarto é o banheiro, que não tem divisão entre a área do chuveiro e da privada e pia, ou seja, o banho era no banheiro inteiro mesmo, com água pra todo o lado – o que descobrimos ser bem comum na Tailândia, em outros lugares que nos hospedamos.

duplo-superior viajadora onde ficar em bangkok
Não consegui tirar nenhuma foto boa do quarto, então peguei esta do site deles. Ao vivo é exatamente assim mesmo.

No final da viagem recebemos do Booking um e-mail propondo um upgrade por um valor realmente bom e acabamos aceitando. O quarto era o Duplo Premier, que ficava em outro prédio, aparentemente mais novo e com vista para a rua e para o jardim do café da manhã. O quarto era bem novinho e mais confortável do que o primeiro. Além disso, a vista era para a rua e o banheiro também era melhor, com uma cortina dividindo a área do banho do restante.

quarto duplo premier rambuttri viajadora onde ficar em bangkok
O quarto Duplo Premier é todo mais moderninho e pode ser virado para a rua, como era p nosso caso, ou para o jardim, como este da foto do site do hotel
viajadora quarto rambuttri janela do banheiro onde ficar em bangkok
A janela do banheiro para o quarto
Viajadora: quarto hotel rambuttri village onde ficar em bangkok
A tv do quarto premier também é mais nova do que a do quarto superior
banheiro-duplo-premier-rambuttri-village onde ficar em bangkok
Box com cortina e área bem separada do vaso e pia… ufa!
janela-do-quarto-duplo-premier-rambuttri-viajadora onde ficar em bangkok
Vista da janela do quarto, virada para a rua Rambuttri
foot-massage-rambuttri onde ficar em bangkok
Dava para ver o pessoal fazendo massagem nos pés na rua. A massagem é uma maravilha e com ótimo preço: em torno de 10 reais meia hora e 20 uma hora

O café da manhã

O restaurante onde é servido o café da manhã é bem bonito e as mesinhas ficam dentro dele e também na área externa, em torno do laguinho e do jardim do hotel. A variedade de comida é bem grande, desde coisas normais de café da manhã ocidental, como frutas, cereais, suco, leite, pães, manteiga, geleias, presunto e ovo mexido, até coisas diferentes que eles servem daquele lado do mundo, e que mais se parecem com almoço do que café da manhã: macarrões de vários tipos, arroz frito, batata frita, salada com tomate, pepino, alface e diferentes molhos, entre outras diferentes que nós não costumamos comer de manhã. O Diogo se fartou e adorou almoçar mais de uma vez no dia! haha Eu confesso que queria ter conseguido comer este tipo de coisa logo cedo, mas não fui muito bem sucedida na missão.

salão-café-da-manhã-rambuttri-village-hotel onde ficar em bangkok
O salão interno do café da manhã
café-da-manhã-rambuttri-village-hotel onde ficar em bangkok
E as mesinhas em volta do laguinho do jardim
Viajadora: café-da-manhã-rabuttri-village-plaza onde ficar em bangkok
O café é bem variado…
Viajadora: café da manhã Rambuttri Village onde ficar em bangkok
…e os pratos que a gente montava eram mais variados ainda! haha

Ouvi de muita gente que o ideal era reservar hotel sem café da manhã e comer na rua, mas nós somos do tipo de viajantes que preferem acordar e comer com tranquilidade, do que já começar o dia com a missão de ir atrás de um lugar para comer. Para quem gosta de cada dia comer em um lugar diferente, na própria rua do hotel existem muitas opções legais. Se você for como nós, que gosta de café da manhã em hotel, opte pela diária com café e não vai se arrepender: o café deles é super bem servido, o preço vale a pena e nós gostamos bastante.

Quanto custa?

O quarto Duplo Superior do começo da viagem, com café da manhã, custou 1400 bahts por diária (pouco menos que 140 reais com a cotação da época da viagem) para os dois, o que considero super barato, principalmente se compararmos aos preços que pagamos por muito menos no Brasil.

O quarto Duplo Premier do fim da viagem, com café da manhã, custou 1550 bahts por diária (pouco menos que 155 reais). Por causa do período e talvez pelo fato de hotel estar mais vazio, esta categoria de quarto acabou saindo bem em conta. A diferença de qualquer forma, costuma ser de mais ou menos 20 a 30 reais por diária, entre o quarto mais simples e este quarto. Se você quiser um pouco mais de conforto, a minha recomendação é que fique neste quarto, que é mais novo, moderno e possui um banheiro com cortina e divisão entre a área do banho e da privada e pia.

Para todos os quartos existe também existe a opção de se fazer a reserva sem o café da manhã, o que na minha opinião não vale à pena. A diferença fica perto dos 20, 30 reais no quarto para duas pessoas (ou seja, dois cafés) – o que é mais barato do que comer na rua, principalmente para quem come no café da manhã tudo o que cabe na barriga bastante, como nós. Também é possível fazer a reserva sem o café e optar por incluí-lo lá na hora do check-in. Só é importante saber que o valor lá na hora acaba sendo mais alto do que fazer se a reserva já for feita pelo Booking com o café incluído.

E a gente recomenda o Rambuttri Village Hotel?

Sim, recomendamos muito! Gostamos tanto que no fim da viagem resolvemos voltar pra lá em vez de ficarmos hospedados em alguma outra região da cidade. Adoramos a proximidade e ao mesmo tempo a distância da Khao San Road, gostamos muito do clima da própria rua Rambuttri, da proximidade dos principais templos da cidade, do preço do hotel e das conveniências que ele oferece, como a piscina, a casa de câmbio e o restaurante.

Se você também gostou e quer fazer a reserva, é só clicar aqui e reservar o Rambuttri Village no Booking.com.

rambuttri-village-plaza-viajadora-mariana onde ficar em bangkok
De mochilão, me despedindo do Rambuttri Village

-> Confira outras opções de hotéis em Bangkok clicando aqui.

-> Confira outras opções de hotéis em Bangkok, na região da Khao San Road clicando aqui.


Confira nossos outros posts sobre a Tailândia:

Quantos dias ficar e o que fazer em Chiang Mai

Trem noturno de Ayutthaya para Chiang Mai

Ayutthaya, Tailândia: o que você precisa saber para visitar

Quantos dias ficar e o que fazer em Bangkok

Songkran: a experiência de participar do festival da água na Tailândia

Songkran: como é celebrado o ano novo na Tailândia.

Planejando uma viagem pela Tailândia: dicas de roteiro, o que levar, aonde ir…

10 razões para visitar Phuket quando for à Tailândia

Full Moon Party em Koh Phangan: Reveillon inesquecível na Tailândia

Tailândia: O que fazer em uma semana em Koh Phi Phi

E mais sobre o Sudeste da Ásia, se for esticar: 

Mini-cruzeiro em Halong Bay, Vietnã: inclua em seu roteiro no Sudeste da Ásia

Kopi Luwak: experimentando o café mais caro do mundo em Bali

Indonésia: uma semana de alegria nas Gili Islands

Para ler: Histórias reais de fantasmas de Singapura

Livro de viagem (apesar do título): “Primeiro eles mataram meu pai” (sobre o Camboja)


Comentários

Tags:

5 comentários

  1. Avatar

    Recomendado.

  2. Avatar

    Olá, saberia de me dizer quanto tempo se leva desse hotel até o aeroporto de DMK?

    Meu roteiro não ficou muito prático porque vamos para chiang mai ver o Festival de Luzes bem no meio da viagem. Então, os voos que estamos vendo sempre tem conexao em DMK. Pensamos na possibilidade de não ficar 5 dias direto em Bangkok e sim ir ficando 2 numa dessas trocas de voo, em uma outra 1 dia. E assim até acabar a viagem.

    Parecia bom até ler que poderia levar umas 3h até o aeroporto. Vcs sabem se leva esse tempo todo mesmo?

    Obrigada pela ajuda.

    1. Mariana Yusim

      Oi, Tatiane,
      Este aeroporto fica afastado e dependendo do horário e do trânsito, você pode ficar sim horas dentro do carro. O único trajeto que fiz deste aeroporto foi na volta de Krabi e por causa do horário não peguei trânsito para chegar na Khao San Road. Talvez seja uma boa você organizar voos totalmente fora dos horários de rush, ou então avaliar não quebrar tanto a passagem por Bangkok. Talvez com isso você perca menos tempo se locomovendo e consiga aproveitar mais a cidade. Se quiser alguma ajuda com roteiro, é só falar! Beijos e muito boa viagem! :*

    2. Avatar

      tatiane tudo bom? sabe que dia certinho vai cair o festival das lanternas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *