Foz do IguaçuParanáPelo Brasil

Foz do Iguaçu: as 6 melhores atrações da cidade

Viajadora Cataratas de Foz do Iguaçu

No começo de junho, passamos três dias em Foz do Iguaçu a convite do Festival de Turismo das Cataratas. Apesar do pouco tempo (e da chuva que pegamos), conseguimos aproveitar bastante alguns dos principais atrativos que a cidade tem a oferecer, e já estamos doidas para voltar e conhecer mais a fundo a cidade das três fronteiras.

Neste post listamos algumas dicas para quem quer visitar as mais legais atrações de Foz do Iguaçu. Elas são ótimas para quem vai fazer um roteiro corrido como o nosso por lá, ó:

1) Parque Nacional do Iguaçu:

O lado brasileiro das cataratas do Iguaçu tem bem menos quedas do que o argentino, mas é só do nosso lado  que se tem a visão panorâmica das quedas que estão do lado dos hermanos. É possível chegar na queda principal de ônibus desde a entrada do parque, ou a pé, que é o que a gente recomenda. A trilha de 1,5km tem nível bem fácil e a estrutura existente é muito boa, bem sinalizada e com mirantes ao longo do caminho, ótimos para apreciar e fotografar as quedas d´água de diferentes ângulos. Sem falar nos quatis ao longo da trilha, que são uma graça e andam atrás da gente tentando descolar alguma comida . Quando se chega ao fim da trilha, você pode descer até a passarela que leva até o meio do rio, e te deixa frente a frente com a Garganta do Diabo – a queda d´água mais impressionante de lá. Você vai se molhar bastante! E é bom lembrar que se o volume de água das cataratas água estiver muito grande, como aconteceu agora no final de junho, pode ser que o acesso até a passarela seja fechado por razões de segurança.

(Sobre se molhar, aliás, aproveito para falar aqui sobre o uso de máquinas fotográficas na passarela. É porque na entrada do parque existem pessoas vendendo sacos plásticos a R$ 2,00 que, segundo elas, “permitem tirar fotos perfeitamente, sem molhar a máquina”. Eu caí nessa, comprei o saco plástico, coloquei minha câmera dentro e, de fato, ela não molhou quando eu fui até a passarela, bem em frente à queda d´água (e na chuva). O problema foi que, coincidência ou não, ela parou de funcionar. Não só a minha, mas a da Tatiana Dornelles, do blog Destino Mundo Afora, também. Nunca levei a sério, mas com esse episódio aprendi que a umidade pode, sim, estragar aparelhos eletrônicos, mesmo sem que uma gota de água os atinja. Deixo então o meu conselho de só levar câmeras à prova d´água para a passarela, especialmente se o dia estiver chuvoso e o volume de água, bem grande.)

Um passeio legal, e que pouca gente sabe que existe é o Luau das Cataratas, que acontece uma vez por mês, em noites de lua cheia. Visitar as cataratas, só sob a luz da lua deve ser inesquecível. Dizem que por conta da luz é possível avistar um arco-íris prateado no spray que a queda d´água forma. Já pensou, que maravilha deve ser? Como parte do passeio está incluído ainda um jantar no restaurante Porto Canoas, que fica dentro do parque nacional. Quem quiser saber mais informações pode acessar o site das Cataratas do Iguaçu, no link do Luau.

Quatis em Foz do Iguaçu
Quatis simpáticos
Mari Viajadora nas cachoeiras de Foz do Iguaçu
Mesmo com chuva, ela é linda!
Cataratas do Iguaçu Viajadora
!!!
cataratas do iguaçu lado brasileiro viajadora
Impressionante com chuva

Vista das cataratas do iguaçu

E, já que quando fomos estava chovendo bastante, pedimos algumas fotos do nosso querido amigo e fotógrafo Tom Alves, que esteve por lá com sol (obrigada, Tom!). Vejam como é diferente:

Dia claro nas Cataratas de Foz do Iguaçu
Com muitos arco-íris pelo caminho
Vista das quedas das Cataratas do Iguaçu
Visual incrível
IMG_1030
🙂
Cachoeiras do Iguaçu dia claro
Muita água!
Cachoeiras do Iguaçu dia claro 2
A passarela que leva até a garganta do diabo

2) Macuco Safari

Agora, voltando ao Parque Nacional do Iguaçu, quem gosta de natureza e de esportes também pode aproveitar os 11km de trilhas em meio à mata atlântica para fazer uma série de atividades de aventura oferecidas à parte no parque. Entre os passeios, o mais popular é o Macuco Safari, mas há outros como a Trilha das Bananeiras (que termina com um passeio de caiaque no final), a Trilha do Poço Preto (que também termina com passeio de caiaque numa parte calma e segura do rio Iguaçu), e o Cânion Iguaçu (onde há ratfing, rapel, arvorismo e tirolesa).

O passeio do Macuco Safari começa com uma volta em um carro elétrico pela mata do Parque Nacional do Iguaçu, com guias contando sobre a fauna e a flora do local. Depois, são mais 600m de trilha, que incluem o banho na cachoeira Salto do Macuco. De lá todos vestem os coletes salva-vidas para dar inicio à terceira e mais aguardada etapa: o passeio de barco bimotor pelo Rio Iguaçu até chegar ao Cânion das Cataratas.

Preços: R$ 170,00 para adultos e R$ 85,00 para crianças de 7 a 11 anos

carretinha elétrica trilha macuco safari
(Foto: macucosafari.com.br)
macuco safari de barco cataratas do iguaçu
(Foto: macucosafari.com.br)

3) Parque Nacional Iguazú

O lado Argentino das cataratas abriga dois terços de todo o conjunto de quedas d´água, somando 2.700 metros de extensão. Infelizmente, não deu tempo de irmos até o lado argentino, que, muita gente diz ser o mais legal, principalmente para quem, assim como nós, gosta de uma experiência mais selvagem. Os visitantes se dividem mais por lá, já que são muitos caminhos, entre eles o que leva até um mirante na beira da Garganta do Diabo. O recomendável é passar um dia inteiro lá e explorar todas as trilhas e ângulos disponíveis das cataratas. É o que faremos quando voltarmos a Foz.

O parque argentino fica bem perto de Foz do Iguaçu e é fácil de se visitar, você só precisa apresentar a carteira de identidade na fronteira. Mas o acesso lá dentro é um pouco mais demorado, já que trenzinhos fazem o transporte da entrada do parque até o início de duas trilhas em passarelas suspensas. Os trens costumam sair com intervalos médios de 30 minutos, o que pode acabar atrasando o passeio.

Ah, e do lado argentino existe uma versão mais roots do Macuco Safari, o Aventura Náutica, que, como o Viaje na Viagem contou neste post sobre o lado argentino das cataratas, é bem mais emocionante e barato do que o passeio oferecido no lado brasileiro. (Já está na nossa lista!)

balcon-garganta-del-diablo iguaçu
(Foto: Iguazu Argentina)
iguazu argentina viajadora 2
(Foto: Iguazu Argentina)
balcon-garganta-del-diablo
(Foto: Iguazu Argentina)
iguazu argentina viajadora
(Foto: Iguazu Argentina)

4) Parque das Aves

O Parque das Aves é um dos principais parques de aves da América Latina, e fica bem pertinho do Parque Nacional do Iguaçu, podendo ser visitado no mesmo dia do lado brasileiro das Cataratas. O parque é uma propriedade privada que se sustenta com recursos próprios e faz um trabalho incrível de recuperação, conservação e procriação de várias espécies de aves, algumas delas inclusive ameaçadas de extinção. Dos mais de mil pássaros que vivem lá, metade foi vítima de maus tratos ou vem de apreensões do tráfico de animais silvestres. O trabalho que eles fazem de acolher animais que não conseguem mais viver na natureza é admirável e a experiência de andar no meio dos viveiros é muito legal. É lá, aliás, que ficam o maior viveiro de araras da América do Sul e a maior colônia de ararajubas em exibição do mundo.

O passeio tem duração média de uma ou duas horas de caminhada num ambiente de mata nativa. Alguns viveiros são só de observação, enquanto em outros o visitante pode entrar e caminhar junto com os pássaros. Além das aves, ainda existem criadouros de répteis e borboletas.

O parque abre todos os dias, de 08h30 às 17h e os preços são bem camaradas: estrangeiros pagam R$ 28,00, brasileiros pagam R$ 20,00 e moradores de Foz apenas R$ 5,00.

pássaros coloridos parque das aves foz do iguacu viajadora 3 parque das aves foz do iguacu viajadora 2 Mari e Thais com Tucano no parque das aves foz do iguaçu viajadora 4 tucanos no parque das aves foz do iguacu viajadora Pássaro no parque das aves foz do iguaçu viajadora

Criança sendo erguida pelo pai no Viveiro das araras em Foz do Iguaçu
Viveiro das araras (Foto: parquedasaves.com.br)

5) Itaipu Binacional

A Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional é a maior em produção do mundo, reconhecida como uma das maiores obras da engenharia moderna, com uma barragem de oito quilômetros de comprimento por 167 metros de altura. É binacional porque foi construída pelo Brasil e o Paraguai, e é o tipo de lugar que realmente te faz perceber o quanto os homens são inteligentes e capazes de criar coisas muito grandiosas apesar de continuarem sendo tão imbecis uns com os outros. Por causa disso, a visita à usina não pode ficar de fora do roteiro de quem vai a Foz do Iguaçu.

São três as maneiras de se conhecer a usina:

A visita panorâmica (R$ 26,00) envolve a exibição de um vídeo explicativo e um passeio de ônibus sobre a barragem, com parada no mirante para ver a barragem de 196m de altura e 2,5km de extensão; (esta opção pode ser combinada com o recém-lançado passeio de catamarã pelo lago Itaipu);

O circuito especial (R$ 64,00), que foi o que fizemos, é o mais completo e detalhado (ótimo para os engenheiros e curiosos de plantão), com visita a diversas áreas no interior da usina;

E a visita noturna (R$ 15,00), que acontece às sextas e sábados, quando toda a estrutura da barragem é iluminada em um espetáculo de som e luzes.

itaipu binacional viajadora 3 itaipu binacional viajadora 2 maquinário na usina de itaipu binacional viajadora Mari na Usina de Itaipu Foz do Iguaçu Viajadora Interior da Usina de Itaipu Foz do Iguaçu Viajadora Interior da Usina de Itaipu Foz do Iguaçu Viajadora 2

6) Compras no Paraguai

A gente não é muito de compras, mas confesso que estávamos animadas em ir até o Paraguai atrás de uma pechincha (isso sim a gente adora). Mas, como tínhamos pouco tempo na cidade, não foi dessa vez. De qualquer forma, é um passeio que quem vai ficar mais dias em Foz não pode deixar de fazer. Digo isso não só pelas compras em si, mas principalmente pela experiência de ir até o Paraguai mesmo.

Já que não estivemos por lá, deixo aqui um link para um post do blog Dondeando Por Aí, da querida Clarissa Donda, que conta tudo sobre o passeio e dá ótimas dicas de como ir, como voltar e o que realmente vale em pena em Ciudad del Este.

Ah, vale registrar aqui que para entrar no Paraguai não é preciso pagar nenhuma taxa, mas é bom não se empolgar muito por lá, já que existem impostos sobre as compras no retorno ao Brasil, na aduana brasileira. A cota para quem retorna por via terrestre é de US$ 300,00 por pessoa.

Quando visitar Foz do Iguaçu?

Não existe melhor época para visitar Foz do Iguaçu. Na primavera e no verão, por conta das chuvas, as cataratas estão bem cheias, o que torna impressionante o volume e a força da água que cai, mas, por outro lado, da garganta do diabo não se vê muita coisa devido à nuvem de spray de água que se forma. O outono e o inverno costumam ser mais secos, o tempo geralmente está mais limpo e as quedas d´água, mais branquinhas, mas, consequentemente, nem tão volumosas (mas este ano está tudo diferente, veja só). A boa notícia é que dá pra conhecer duas versões completamente diferentes das cataratas, dependendo da época.  Já que é assim, a dica é ficar de olho nas passagens aéreas: as companhias normalmente oferecem preços bem baratos para lá em épocas de promoção.


-> Confira hotéis e pousadas em Foz do Iguaçu clicando aqui.


Comentários

Tags:

2 comentários

  1. Avatar

    Mariana e Thaís, parabéns pelo post a respeito de Foz do Iguaçu. A cidade tem evoluído muito nos últimos tempos em torno de atrações para os turistas, e é muito bom ver este tipo de divulgação. Em pouco tempo, vocês conseguiram vivenciar os principais pontos da cidade, mas ainda haveria outros para ir, como o Parque dos Dinossauros, a Mesquita, campo de golf etc. Quando quiserem voltar, nos avise, temos parceria com a RBBV no Iguassu Resort. Parabéns mais uma vez e vamos promover Foz!

    1. Mariana Yusim

      Oi Thomas, ficamos felizes que tenha gostado do post. Realmente nós ficamos pouco tempo na cidade, mas pretendemos voltar em breve e é ótimo saber que vocês têm parceria com a RBBV. 🙂 Um Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *