ÁfricaÁfrica do SulPelo MundoPor Aí

Dicas de moradora: 10 programas imperdíveis em Cape Town

Dicas de moradora: 10 programas imperdíveis em Cape Town

Ninguém melhor que os moradores para indicar lugares legais e pouco conhecidos pelos turistas em uma viagem. Pensando nisso, convidamos nossa amiga Inês Cindra para falar um pouco e indicar seus lugares favoritos em Cape Town, uma das cidades mais bonitas e turísticas da África do Sul. Dá vontade de pegar um avião e ir hoje mesmo para lá! Olha só:

“Moro na Cidade do Cabo (Cape Town) há três anos e minha resposta para quem pergunta o que acho daqui em comparação ao Rio de Janeiro é sempre a mesma: Cape Town é um Rio com o clima mais fresco, trânsito mais organizado, metade da população e o dobro de diversidade cultural – o que não poderia ser diferente num país que tem 11 línguas oficiais.

Para começo de conversa, se você quer ver a típica natureza de savana africana e observar os Big Five – os cinco maiores animais da África: leão, elefante africano, búfalo, leopardo e rinoceronte – Cape Town não é seu destino. A reserva privada mais próxima para safaris fica a duas horas de distância de carro e o mais recomendado para isso é visitar os parques nacionais, como o Kruger Park, por exemplo.

Mas para quem busca aventuras em um ambiente urbano, Cape Town é perfeita, com infinitas opções de atividades ao ar livre para os amantes da natureza e de esportes radicais; para os apreciadores de um bom vinho e para aqueles que curtem uma boa noitada. Por isso, aconselho que você planeje sua viagem dedicando pelo menos uma semana para aproveitar o suficiente. E que tente visitar o máximo possível de lugares, porque todos valem muito a pena, como, por exemplo, a Table Mountain, cartão postal da cidade; as praias de Camps Bay, Clifton e Boulders, que, aliás, é o lar de centenas de pinguins, um espetáculo à parte; o Parlamento e os museus em Gardens; o Waterfront, o Cape Point/Cabo da Boa Esperança e Robben Island, onde Nelson Mandela ficou preso por 18 anos.

Agora, se você tiver tempo e quiser fugir do óbvio, aqui vão as minhas dicas de moradora para aproveitar Cape Town como um sul-africano:

Onde comer em Cape Town

Antes de mais nada, sempre pergunte se o restaurante tem algum “special menu”.  Geralmente eles oferecem pratos com desconto no horário de almoço ou de 3ª à 5ª e domingos. Principalmente na baixa temporada, os restaurantes da orla de Camps Bay e da maioria dos pontos turísticos oferecem muitos specials – mas os garçons não vão te oferecer os cardápios com desconto, por isso, peça.

Eastern Food Bazaar

(https://www.easternfoodbazaar.co.za)

Fica no centro de Cape Town e oferece a clássica comida boa, barata e sem frescura. Fica absurdamente lotado em horário de almoço e jantar, mas quem está viajando pode se dar ao luxo de conseguir uma mesa às três da tarde, depois de um passeio na Table Mountain.  A culinária é diversificada (comida indiana, chinesa e rola até uma pizza).

Viajadora: Eastern Food Bazaar (Cape Town)

Activesushi

(https://www.activesushi.com)

Também no centro da cidade, é onde os universitários se encontram no final do dia para se empanturrar no rodízio de sushi por R119 (pouco menos de 30 reais, em março de 2014). Também oferece cardápio à la carte.

Viajadora: Activesushi Comida japonesa (Cape Town)

Bay Harbour Market

(https://www.bayharbour.co.za)

Se você, assim como eu, adora feirinhas de artesanato, com bandas locais se apresentando e vários quiosques com comidas de todos os lugares para beliscar, esse é o lugar. A maioria dos livros e sites de turismo vai sugerir que você visite o The Old Biscuit Mill para esse tipo de programa, mas o Bay Harbour Market é mais conhecido pelos locais. Os preços são praticamente os mesmos, a diferença é q esse não é tão divulgado para os turistas e é tão legal quanto o outro.

Mariner’s Wharf 

(https://www.marinerswharf.com)

Na região de Hout Bay, esse ponto turístico oferece lojas, restaurantes e uma vista incrível. Você não pode visitar Cape Town sem provar o prato mais amado da culinária local e espelho da herança inglesa: fish & chips. Nada de subir para o restaurante metido à besta no 2º piso, a dica é pegar a fila quilométrica na área de take aways, no térreo, garantir sua porção de fish & chips e se sentar em um dos vários banquinhos de madeira para apreciar a vista e a bagunça das gaivotas.Viajadora: Mariners Wharf (Cape Town)

Groot Constantia 

(https://www.grootconstantia.co.za)

Essa foi a 1ª vinícola da África do Sul, fundada em 1685. É um dos meus lugares preferidos e, por sorte, muito perto de casa. Vale a pena visitar para conhecer um pouco da história de Cape Town e ver as construções no estilo arquitetônico Cape Dutch. Lá há dois restaurantes, museus e possibilidade de degustação de vinhos.

Viajadora: Groot Constantia (Cape Town)

Caindo na night

Boate 31 

(https://www.thirtyone.co.za)

A boate 31 fica no 31º andar de um dos mais altos edifícios do centro da cidade. A vista 360º, os dj’s variados e os frequentadores já são motivos suficientes para que você dê um pulo lá.

Viajadora: Boate 31 Cape Town
A vista da boate, do alto da cidade

Shimmy Beach Club 

(https://www.shimmybeachclub.com)

Esse é atualmente o lugar mais badalado da cidade, na região do Waterfront.  A partir de meio-dia, você pode participar das beach parties e conhecer toda a elite poser de Cape Town, se essa for a sua praia.

Viajadora: Shimmy Beach Club (Cape Town)

Mas, se você curte mais uma boa cerveja e barzinho com os locais, vá para a…

Long Street (Centro da Cidade)

Essa é a rua da boemia. Não chega a ser uma Lapa, mas tem opções para todos os gostos, com pubs, botecos e até restaurantes charmosos. É lá também que fica a maioria dos hostels, que também têm festas divertidas. Simplesmente passeie de bar em bar para aproveitar ao máximo, mas lembre-se de ficar de olho na bolsa e objetos pessoais, afinal, centro da cidade é centro da cidade!

Viajadora: Long Street Centro de Cape Town
Foto: capetowndailyphoto.com

Programas gostosos para fazer no verão

Organize-se para vir na primavera, verão ou no comecinho do outono. Eu sei que os preços das passagens e tarifas de baixa estação são tentadores, mas no inverno chove. E chove muito! Ou seja, os programas ao ar livre ficam inviáveis. Se estiver por aqui no verão, não perca:

Galileo Open Air Cinema

(https://www.thegalileo.co.za)

Para terminar o dia em clima relax, nada como pegar um cineminha. O projeto Galileo oferece clássicos do cinema ao ar livre, em três locais super charmosos da cidade. Vale à pena conferir o site para verificar a programação e comprar seu ticket online.

Viajadora: Galileo Open Air Cinema em Cape Town

Kirstenbosch Summer Sunset Concerts

(https://dogreatthings.co.za/music/kirstenbosch)

Prepare sua cesta de piquenique e junte-se aos locais para ouvir boa música nos fins de tarde de domingo. A programação anual começa no final de dezembro e vai até o começo de abril. Os estilos musicais são diversos e é uma boa oportunidade para conhecer o som sul africano enquanto aproveita o jardim botânico, um dos cartões postais mais famosos da cidade.”

Viajadora: Kirstenbosch Summer Sunset Concerts em Cape Town

 

 

300030_10150417922541425_2079361449_nSobre a autora: Inês Cindra é publicitária, brasileira nascida em Moscou, mas carioca de coração. Adora um projeto DIY, ler e aprender novas línguas. O gosto por viajar está no sangue e sempre juntou cada centavo ganho para conhecer novos lugares. Foi numa dessas aventuras que conheceu o Jeff, um sul africano muito tímido, mas incrivelmente perfeito para ela. Ficaram noivos e há três anos moram juntos em Cape Town, onde ela tem uma pequena empresa especializada em design infantil (www.iccreations.co.za). Seu próximo destino será Israel, onde irá morar por três meses, de abril a julho.


-> Confira opções de hospedagem em Cape Town aqui.


Comentários

Tags:

16 comentários

  1. Eu gostei muito da região de Hout Bay (onde fica o Mariner’s Wharf e o Bay Harbour Market), mas fica muito fora de mão. Uma sugestão de mercado bem + fácil de chegar e no mesmo estilo do Bay Harbour Market é o Market on the Wharf em pleno V & A Waterfront – eu AMEI o lugar! Quanto à Long Street, só passei de dia e achei a região toda meio mal-encarada, como qualquer centro de cidade no Brasil. Não fiz questão de voltar à noite porque prefiro um restaurante legal do que bares e baladas, mas aí vai de cada um. Todo mundo recomenda a região para balada e hospedagem para quem tem o perfil mais mochileiro.

    1. Thaís Freitas

      Oi, Fernanda! Realmente, o Market on the Wharf é bem legal mesmo, aliás, tudo no Waterfront é bom demais, né! Sobre a Long Street, eu me hospedei num albergue lá e adorei as opções de barzinhos, restaurantes e festas da rua, muito agito e gente bonita, mas é bem coisa de mochileiro mesmo, depende da personalidade de cada um. 😉 Ah, bem legal seu blog, comecei a seguir no facebook! 🙂

  2. Oi Thais, em qual albergue vc ficou hospedada?

    1. Thaís Freitas

      Oi, Bianca! Eu fiquei no Long Street Backpackers, que fica bem no meio da Long Street, a rua mais movimentada da cidade, com um monte de bares e boates. O albergue em si é bem zoneado e os quartos não são confortáveis, mas é bom para quem quer conhecer gente e se enturmar, que era o meu objetivo na época. Além disso, é barato e a localização é ótima para quem está procurando festa. Hoje eu já não sei se ficaria nele novamente… rs

  3. Oi Thaís,

    Tenho uma dúvida: como é o transporte público? Vi que a cidade é gigante, então queria saber se é fácil se locomover sem carro. Estou indo pra lá em fevereiro, e não tenho carteira de motorista, vou ter q me virar de táxi e transporte público.

    Obrigada!

    1. Oi Rafaela, o transporte público infelizmente não é essas maravilhas, mas uma ótima opção para chegar na maioria dos pontos turísticos sem carro é o Red Bus: https://www.citysightseeing.co.za/capeTown.php Além disso tem o novo sistema de ônibus cobrindo boa parte da cidade (https://myciti.org.za/en/home/) e tb tem a opção do trem (somente de dia – não recomendo andar de trem à noite). Bjs

  4. […] de restaurantes e as mais diversas culinárias do mundo estão por lá. Aqui mesmo no blog, no post Dicas de moradora: 10 programas imperdíveis em Cape Town, já tem diversas sugestões de onde comer em Cape Town. No entanto, a minha sugestão é a de um […]

  5. Inês, foi de grande valia suas dicas, porém o restaurante japonês Activesushi deixou a desejar chegamos por volta das 20:50h e o gerente insistiu em dizer que fechava es 22h, não querendo nos atender, depois de muita insistência aceitou fazer um combinado, todavia estava tudo mal feito e de péssima qualidade.
    No mais reitero os agradecimentos pelas dicas.

  6. Bom dia Ines

    Estou interessado em comprar uma casa numa zona calma e sem bandidagem em cape town. Pode me dar umas dicas?

    Obrigado

  7. Olá, vou ficar em cape town por 1 mês, fazendo um
    Curso de inglês e estou na dúvida de onde me hospedar, vc pode me ajudar? Fiquei com medo porque me disseram que a cidade não é segura.
    Obrigada
    Tatiane

    1. Oi Tatiane, o ideal é q vc fique o mais próximo possível do seu curso de inglês. Qual é o bairro do curso? Sea Point?
      Quanto à segurança, basta ficar atenta e não andar sozinha à noite 🙂

  8. Boa Tarde
    Alguem conhece algum guia brasileiro em Joanesburgo e Cape Town
    Favor entrar em contato no e-mail mlongaray@gmail.com

  9. Estou indo para a África do Sul agora no final do ano e vou passar o reveillon em Cape Town.
    Alguma dica de festa para a virada do ano??
    Obrigada!

  10. Oi. Recomendo o Pisco como guia de Cape Town. Ele é brasileiro e vive por lá há muito tempo.
    Abraços
    https://www.facebook.com/guiaturisticocapetown/

  11. […] Loucos por Viagem, Viajadora, Meus Roteiros de Viagem, Wikitravel, Pé na […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *