EconomizandoGuias, Dicas e outras coisas úteisVida de viajante

Como administrar o dinheiro para viajar

Viajadora: Como Economizar Dinheiro para Viajar

Muita gente ainda pensa que é preciso ganhar bem para conseguir viajar. E isso não é, necessariamente, verdade. Eu, por exemplo, sou desse grupo de “gente de Humanas que faz um monte de coisa que não dá dinheiro”, mas mesmo assim consigo administrar a mixaria e adaptar meus gastos para viajar com frequência sem me endividar.

Como de vez em quando me perguntam como faço, resolvi explicar aqui a forma como administro pra sobrar alguma coisa no fim do mês e viajar o máximo possível. O “passo-a-passo” é esse aqui, ó:

1 – Definir no que vale gastar dinheiro pra você

Sou filha de pais viajantes e desapegados. Cresci acostumada a vê-los de chinelo, cozinhando em casa, recebendo os amigos para churrascos no quintal e ficando em lugares simples quando viajavam. E não era por falta de dinheiro, só o jeito deles mesmo. Aí acabei virando uma pessoa simples também, e isso influencia diretamente nos meus gastos. Meu apartamento é básico, nunca quis ter carro, não ligo para roupas nem restaurantes sofisticados e me divirto com programas baratos, então isso já facilita ser econômica sem sofrer muito.

Mas como todo mundo, tenho despesas das quais não abro mão e, por isso, dou um jeito de colocá-las no orçamento de qualquer forma. São elas:

  • Morar sozinha – Bancar um apartamento sai caro e se eu ainda estivesse com meus pais economizaria muito mais. Mas meu sossego seria prejudicado e eles moram longe, o que reduziria muito meu tempo livre, logo, fora de cogitação.
  • Academia e atividades físicas– Adoro atividades físicas, malhar me deixa feliz e minha saúde fica bem mais forte. Além disso, quando você está com um corpo legal e se sentindo bem, até a mais barata das roupas vai te deixar bonita. Mas se não está, aí não tem Armani que resolva. Por isso, academia pra mim é o investimento com melhor custo-benefício.
  • Alimentação saudável – É fundamental para os resultados dos exercícios aparecerem, mas geralmente sai mais cara do que se encher de miojo e hambúrguer. Só que quando como junk food,  me sinto muito mal depois, logo esse é o típico barato que sairia caro pra mim.
  • Livros, música, cursos e cultura em geral – Adoro ler e ir a shows de rock, então comprar livros e ingressos pros shows das minhas bandas favoritas é um baita investimento em felicidade. E cursos variados podem ser bem divertidos também. Sem falar que, principalmente para jornalistas, é fundamental ter um bom repertório cultural e estar por dentro do que acontece nesse cenário.

Nesses itens, embora eu procure economizar, sei que é preciso pagar de qualquer jeito. Já com todo o resto, procuro racionalizar ao máximo. Assim, a dica número 1 é:

Definir quais são os gastos realmente importantes, necessários e/ou úteis pra você e ver se existe algum jeito de reduzi-los. Se não tiver, definir de que outras formas economizar para compensar.

2 – Viver como se ganhasse menos

Claro que isso é difícil quando se ganha pouco (e muitas vezes, quando se ganha muito, também), mas quem quer economizar precisa, obviamente, gastar menos do que ganha. Um bom jeito é tirar o valor que se quer guardar logo no começo do mês e colocar numa poupança separada, para não se sentir tentado a gastar só porque “está lá”.

Além disso, eu, particularmente, gosto de viver com um padrão de vida mais baixo do que minhas possibilidades. Pode até parecer maluquice, mas a gente nunca sabe o dia de amanhã, e se tem uma coisa que é verdade, é que acostumar com o que é bom é muito fácil, mas voltar a viver de um jeito simples depois, se precisar, é terrível. Sem falar que acredito que, quanto mais coisas a gente tem, quanto mais hábitos caros, mais presa a gente fica, mais se torna escrava delas, mais precisa trabalhar para manter a engrenagem rodando, e não quero isso pra mim.

3 – Anotar TODOS os seus gastos

Pra sobrar dinheiro para viajar, é fundamental saber direitinho quanto entra, quanto sai, pra onde vai e quanto sobra. E pra isso, o único jeito é anotar obsessivamente TODOS os seus gastos, mesmo os menores, como aquele salgadinho que você compra de tarde no trabalho. Desse jeito, a gente vê onde tem gastado mais e onde é possível cortar, além de perceber que os gastos pequenos, somados, podem ser um rombo e tanto no orçamento – clichê, mas verdade.

Para isso, eu uso uma tabela como essa:  Controle de despesas mensais . Nela, coloquei todos os meus gastos separados e no fim do mês vejo quanto foi pra cada coisa, funciona muito bem para mim.

Saber quando o dinheiro entra e quanto sobra é essencial, porque aí você não só pode ver onde precisa reduzir os gastos, como fazer as seguintes coisas que deixam a vida mais prática e ajudam a economizar:

  • Colocar as contas em débito automático, principalmente o cartão de crédito (para não pagar os juros insanos do pagamento atrasado do cartão)
  • Pagar o máximo possível no crédito para acumular mais milhas e trocar por passagens de avião
  • Saber quanto tem sobrando e poder fazer compras grandes à vista se o desconto valer a pena (é o caso dos eletrodomésticos, por exemplos)
  • Programar compras maiores e cursos para meses em que as despesas estiverem mais tranquilas

Eu sempre falo tanto disso pra todo mundo, que até já apareci numa matéria do Jornal Hoje, da Globo, contando como faço pra economizar. Olha só:

4 – Descobrir qual “dinâmica bancária” funciona melhor pra você

Quase todo mundo fala que a melhor forma de economizar para viajar é fazendo uma poupança separada do resto do dinheiro. Isso certamente é verdade se você é o tipo de pessoa que não consegue ter um dinheiro sobrando que já sai gastando. Mas eu já acho que juntar dinheiro para viajar é algo pra vida toda, não só pra viajar, então não faço poupanças separadas e me preocupo, também, com um plano de aposentadoria e um seguro de vida/doença.

E, claro, outras pessoas gostam de investir em ações, CDB, guardar o dinheiro debaixo do colchão e outras mil formas possíveis. A verdade é que, por mais que conselhos desse tipo sejam úteis, o mais importante é descobrir quais tipos de investimentos funcionam melhor para a sua personalidade e sua forma de lidar com o dinheiro. Para isso, vale pedir umas dicas ao gerente do seu banco, ver como seus amigos fazem e pesquisar sobre formas de investimento até achar uma que te agrade.

5 – É legal pedir ajuda

Muitas pessoas têm dificuldade em guardar dinheiro para viajar, mesmo quando o salário aumenta, porque não conseguem resistir às compras ou se adaptar a uma rotina de gastar menos do que ganham. Outras, ainda, têm muitas despesas ou, pior, por mais que queiram economizar, têm dívidas cujos juros acabam com qualquer possibilidade. São situações complicadas, das quais pode parecer quase impossível sair sozinho. Nesse caso, é importante lembrar que você não está mesmo sozinho, e não tem problema pedir ajuda!

Existem, hoje, vários livros, sites e revistas que ajudam com dicas de investimentos e orientações para sair de situações financeiras complicadas. Eu, por exemplo, adoro o site  Dinheirama, o principal dessa área no Brasil, que além de ter vários artigos e podcasts interessantes sobre investimentos e formas de economizar, tem vários especialistas que respondem dúvidas dos leitores e os orientam sobre as melhores formas de lidar com sua situação financeira no momento. No portal, existem aplicativos e planilhas para ajudar a contabilizar os gastos e investimentos, disponíveis para download gratuito. Eu uso e gosto muito! Aliás, não estou ganhando nada pra falar deles aqui, é só porque eu leio sempre e indico pra todo mundo mesmo.

Outra opção, é claro, é conversar com o gerente do seu banco para saber as opções de empréstimos possíveis para renegociar dívidas, formas de investimentos, etc. Conversar com pessoas mais experientes, pesquisar outros especialistas que possam ajudar… vale tudo para não ficar perdido e sozinho em uma situação difícil sem ajuda, porque sempre existe um meio de conseguir resolver esses problemas.

Confira outros post sobre como lidar com dinheiro para viajar:

50 dicas para economizar dinheiro para viajar

Como economizar dinheiro para viajar em 2015

Como economizar em viagens: 50 dicas para a sua viagem sair bem mais barata

 

Bom, essas são as coisas que eu faço! Parecem simples, e são, mas exigem uma certa disciplina. A boa notícia é que, uma vez que se acostuma com essa rotina de economia, não é tão difícil seguir nela. Quando passamos a saber exatamente quanto estamos gastando e o preço de cada coisa, ficamos bem mais consciente na hora de gastar nosso suado dinheirinho.

E você, como faz? Tem alguma outra dica legal pra botar ordem nas contas e economizar? 🙂

Comentários

Tags:

5 comentários

  1. […] geral, porque gastar pouco é o primeiro passo para ser livre. Em outro post já falamos sobre como administrar o dinheiro para viajar, agora listamos coisas fáceis de fazer no dia-a-dia e que garantem um dinheiro sobrando pra fazer […]

  2. Parabéns pelo excelente trabalho!
    Estou utilizando a planilha que você disponibilizou.

    Obrigado pelas dicas.

    1. Thaís Freitas

      Oi, Matheus! Que alegria saber que a tabela está te ajudando a administrar as despesas! Nós do Viajadora somos psicopatas com a anotação dos gastos, isso ajuda a muito a controlar e fazer sobrar uma grana no final do mês. Depois conta mais pra gente sobre como foi a experiência, e se está valendo a pena anotar tudo, vamos adorar saber. 😉

  3. Bem legais as dicas….ja faço isso tudo e mesmo assim não me sobram 10 reais por mês hehehe
    Um dia ainda consigo viajar ˆˆ

    1. Thaís Freitas

      Ah, é difícil mesmo, mas vai juntando com paciência e determinação que uma hora dá para viajar! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *