Brasileiro que mora fora não é metido, você que é sem noção

4

A coisa mais comum nos grupos de brasileiros no exterior são comentários – em qualquer post – dos brasileiros que ainda estão no Brasil falando que os que já emigraram são soberbos, egoístas, que a comunidade brasileira não se ajuda, e por aí vai. Eu acho engraçado e me irrito ao mesmo tempo, fico com vontade de responder mas logo desisto porque, claro, não vale a pena bater boca na internet. 

Esses dias, no entanto, vi um comentário especialmente irritante, daí resolvi fazer este post para explicar porquê, na maioria das vezes, o brasileiro que mora fora não é metido, e sim quem pede ajuda é que é completamente sem noção. Assim posso apenas botar o link daqui quando eu vir outro comentário irritante. hahaha 

Me diga se você concorda: 

1. Quem tem que fazer o trabalho chato é quem está interessado

O processo de Imigrar é muito chato. O Canadá tem mais de 50 processos diferentes de imigração, inúmeras regras e possibilidades, o governo está sempre mudando alguma coisa e é um porre entender tudo e escolher o que é melhor pro seu caso. É preciso estudar o site oficial do país com calma para entender tudo e, de preferência, contratar uma empresa de imigração para fazer uma análise específica do seu caso e cuidar do seu processo para aumentar as chances de sucesso.

Todo mundo que imigrou passou por essa etapa e gastou horas e horas – e dinheiro – se informando sobre as possibilidades e entendendo o que precisava fazer para imigrar. Por isso, quando você posta “Gente, quero morar no Canadá, como faz?”, sem se dar ao trabalho de pesquisar minimamente no Google ou nos posts anteriores do grupo, ninguém vai querer te dar tudo mastigadinho – a não ser que seja alguém com algum interesse, como o povo das agências de intercâmbio, por exemplo.

Se você que está interessado tem preguiça de pesquisar, por que alguém que já emigrou vai fazer isso pra você? Todos nós fizemos o trabalho chato de pesquisar tudo e você tem que fazer isso também.

2. Todos estão ocupados tentando sobreviver

Vida de imigrante não é nada fácil, principalmente a de quem chegou no Canadá há pouco tempo e ainda está tentando se estabelecer. Muita gente trabalha em dois empregos ou concilia trabalho com os cursos puxados de college, e aí fica com muito pouco tempo livre e disposição para responder perguntas no Facebook – principalmente quando são questões óbvias e preguiçosas como a que citei acima.

3. Depois de um tempo, a gente para de acompanhar as notícias de imigração

Quem está no processo de imigração acompanha de perto cada novidade ou decisão do governo canadense, porque essa é a principal preocupação da vida no momento. Mas, depois que a gente vira residente permanente, as preocupações mudam e passam a ser coisas mais do dia a dia no país, como comprar a casa própria ou aumentar a família, e aí acaba parando de acompanhar as mudanças nas regras de imigração.

Eu mesma peguei meu PR em 2017 e, desde então, não segui mais nenhuma notícia sobre imigração – não faço ideia da atual nota de corte do Express Entry, por exemplo, para responder caso alguém me pergunte. Por isso, tenha em mente que, muitas vezes, quando alguém não responde uma pergunta sua, não é por soberba, mas simplesmente porque não sabe a resposta.

4. Te ajudar não significa dizer o que você quer ouvir

Outra coisa que notei nos grupos e também me dá raiva, é gente que pergunta alguma coisa e, quando o pessoal responde algo diferente do que esperava, a pessoa fica reclamando que “brasileiro não se ajuda”. Por exemplo, quando alguém pede dicas de como conseguir trabalho vindo com visto de turista, e quem mora aqui responde que isso é contra a lei e não dá pra fazer.

Quem se dá ao trabalho de responder isso – em vez de simplesmente ignorar, como a maioria faz – está tentando ajudar quem perguntou, avisando sobre os riscos de problemas sérios, como ser deportado e proibido de voltar ao Canadá. Em vez de um “obrigado, vou analisar outras alternativas,” quem responde ainda corre o risco de ouvir desaforo, é mole? 

5. Nós não vamos te ajudar a vir queimar nosso filme no Canadá

Imigrante já tem uma fama ruim no Canadá e enfrenta preconceito sim, mesmo que menos, no caso dos brasileiros em comparação aos indianos ou chineses. Infelizmente, quando um brasileiro é pego fazendo coisa errada, a má fama acaba caindo em todos os conterrâneos, e isso pode atrapalhar na hora de conseguir emprego ou alugar um lugar para morar, por exemplo.

Por isso, nunca conte comigo – e com a maioria dos brasileiros que emigraram legalmente, dão duro e fazem tudo certinho – para te dar dicas de como vir trabalhar sem visto de trabalho, como usar o “jeitinho brasileiro” pra se dar bem em cima dos outros, ou fazer qualquer outra coisa ilegal ou moralmente questionável. Por que você acha que alguém que deu o maior duro pra vir certo pra cá vai te ajudar a vir fazer coisa errada e ainda queimar nosso filme?

6. Ninguém gosta de se sentir usado

Aconteceu comigo e com vários amigos brasileiros que moram no Canadá: ajudar alguém a emigrar – respondendo todas as dúvidas, pesquisando informações, colocando em contato com outras pessoas que podem ajudar, e até procurando apartamento pra alugar aqui, por exemplo – e quando a pessoa chega no país, some e nunca nem diz um “valeu, colega” pra quem ajudou.

Isso aconteceu várias vezes comigo por causa do blog. Teve um casal, por exemplo, que passou meses me perguntando coisa e pedindo ajuda pelo Whatsapp, eu sempre respondia rápido e até fazia pesquisas para ajudar, e quando eles finalmente vieram, nunca me agradeceram e mal me cumprimentaram quando nos encontramos pessoalmente. 

Nesses casos, você se sente usado e descartado quando não tem mais nada a oferecer, uma sensação muito ruim. E aí aprende a lição e para de ficar ajudando todo mundo e se sentindo usado. É desagradável mas é verdade, e é um dos motivos pelos quais os brasileiros que moram fora não ficam mais se esforçando em ajudar todo mundo.

7. Ajuda e exploração são coisas bem diferentes

Pede informação, pergunta como é a vida aqui, questiona se alguém sabe de algum lugar que esteja contratando recém-chegados ou de empresa que ofereça patrocínio para imigrar. Mas não pede dinheiro emprestado nem muito menos doação, não pede pra ficar na casa de ninguém se você não tem intimidade, não fica perguntando coisa pessoal demais, não abuse da boa vontade de quem se dispõe a te ajudar.

Existe uma linha entre ajuda e exploração – não tente cruzá-la e depois ficar reclamando que a pessoa não quis te ajudar quando você estava perguntando ou pedindo coisas totalmente inaceitáveis. 

8. Você mal me cumprimentava no Brasil, agora quer ajuda para emigrar?

Este é outro clássico desde que vim morar aqui: gente que nunca nem me disse “oi” direito no Brasil ou que eu gostaria de nunca mais ver, como ex-namorados cretinos, por exemplo, surge do nada como se fossem velhos amigos perguntando como faz pra morar no Canadá. Ah, vá pro Google que te carregue, cara-de-pau!

E por fim…

9. Ninguém é obrigado

Simples assim.
Ninguém tem nenhuma obrigação de te ajudar simplesmente porque nasceu no mesmo país que você. Botar banca e exigir ajuda dos outros brasileiros só porque você é brasileiro também é o melhor jeito de ninguém querer te ajudar mesmo, sorry. Ser amigável e pedir com gentileza e educação é o melhor jeito de receber qualquer ajuda, sendo você brasileiro ou não. 

Pronto, falei. Ufa! É isso. Esqueci algum motivo? Estou completamente errada? Totalmente certa? Deixe sua opinião aqui nos comentários, vou adorar saber!

Comentários

4 COMENTÁRIOS

  1. Thais, eu concordo com tudo que vc falou, eu publicaria o mesmo conteudo mais com menos emoção, menos raiva, menos julgamento.
    Falar a mesma coisa com mais acolhimento e mais leveza. Por que vc está certissima e acredito que vc esta falando para o Brasileiro que mora no Brasil , o ponto de vista de quem nao mora. Eu moro em Londres e é a mesma coisa. Hoje em dia mando link ou indico um recem chegado para dar atenção. Pois depois de 25 anos eu não faço nenhum digging para ninguém , por que já sei que prejudico o processo de aprendizado 🙂 vc está em que cidade?
    Indique os conselhos de cidadania ou cidadão como fonte de apoio e informação para os brasileiros recém chegados.

  2. Thais
    Parabéns pelo blog e pelo post
    Moro no Canadá há quase 20 anos, vc expressou exatamente o que a maioria que já está aqui sempre teve vontade de esclarecer. Vou adicionar mais algumas informações para aqueles candidatos a Imigrante
    • Não confunda Vacation with Imigration – Vir de férias ou mesmo fazer cursos de 1,2, 3 meses não te dá a devida dimensãodo do que é Imigrar. Tem muita dor, suor, choro, dificuldades e desilusão. (Alguns já vão dizer que eu estou querendo desestimular. Estou apenas sendo realista). Quando vinhemos para o Canadá nos erramos 55 casais da área de Informática, todos nós gastavamos em média 4 horas pesquisando e trocando informações sobre o processo de imigração (isso num tempo que não existia What’s Up), destes 55 apenas 5 permanecem casados, eu e mais 4. Lembrete : O inverno é longo, vc e o seu parceiro (?) e filhos estarão confinados a maior parte do tempo ( Não tem mamãe e papai, vovô e vovó, titio e titia para ajudar a tomar conta dos pequenos e te dar um refresco), normalmente é aí que o amor pelo Canadá começa a morrer e o parceiro que mais se dedicou para imigrar tbm será o culpado pelo infortúnio.
    • Para as mulheres
    Efeitos da mudança de hemisfério na saúde
    Saúde mental – Falta de vitamina D, depressão, insônia.
    Ganho de Massa corporal – E isso aí amiguinhas, vcs vão ganhar uns kilos a mais, por isso controle a boca e vamos malhar.
    • A saúde de crianças imigrantes diminui rápidamente depois que elas chegam no Canadá causado pela Alimentação, adaptação e stress.
    Fonte: (Universidade de Saskatchew) & Citizenship and Immigration ( research and evaluation )
    • Dollar é verde mas não nasce em arvore – E muito comum as pessoas que não estão aqui ainda, pensarem por que ganhamos em dólar estamos ricos. Para os incautos o imposto retido na fonte vai the 25% a 49% dependendo do seu salário e mais 13% em produtos industrializados e serviços. (Não se paga imposto em comida no supermercado)

    • Regra dos 15 dias – Se vc está vido para passear na casa de alguém, faz parte das boas maneiras dizer o tempo de permanência, que não exceda os 30 dias. Mas se vc está imigrando ficar 15 dias no máximo e vá procurar o seu destino. Não fique aborrecido se a pessoa que esta te hospedando cobrar uma a taxa de permanência, afinal vc teria que pagar um hotel e por mais que sejam amigos vc está incomodando.

    • Visitas sem prévio aviso – Não apareça na casa de alguém só porque vc estava passando pela vizinhança e resolveu dar uma a paradinha. As pessoas têm uma vida bastante corrida aqui então de uma ligada antes e marque a visita ou não se aborreça se o seu amigo(?) não atende-lo.

  3. Concordo plenamente. Vejo que no grupo de Halifax há muitas pessoas dispostas a ajudar, outras soltam algumas piadas (acho desnecessário). É meu sonho morar no Canadá, tenho uma filha lá desde 2017 estudante de College tentando imigrar, mas não me arrisco a ir com visto de turista e procurar emprego ilegalmente, não sei viver na berlinda kkk. Gosto de tudo certo.

  4. Excelente, e um ponto importante e que nao foi mencionado, que é o Brasileiro que migrou com visto de turista ou de forma ilegal, e quando chega, começa a peregrinaçao para se ajustar e alguns com pedidos de ajuda porque a situação nao foi conforme ele esperava. Na boa, fazer o processo corretamente além de muito trabalho e muita documentação, ainda precisa de um pouco de sorte, mesmo tendo um sponsor, entao vem esse pessoal que larga tudo no Brasil, aparece aqui na cara e na coragem ( o que eu admiro e respeito), mas que ja começa errado, fora da lei, e depois vem reclamar dos brasileiros … haaa vaaaa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui