Slide the City em North Vancouver: Vale a pena?

Slide the City em North Vancouver: Vale a pena?

Desde que cheguei em Vancouver eu queria participar do Slide the City, o evento anual que, já há alguns verões, transforma a Lonsdale Street, em North Vancouver, em um tobogã para o povo descer escorregando com uma bóia. A ideia parecia ótima e este ano eu finalmente decidi experimentar. Agora conto neste post como foi a experiência e se vale a pena pagar *caro* pra participar da brincadeira.

Slide the City Festival: O que é

Slide The City é um evento itinerante que acontece no verão em várias cidades dos EUA e Canadá. Dura um fim de semana e em British Columbia ele acontece na cidade de North Vancouver, a uns 20 minutos de distância de Downtown Vancouver, em meados de agosto.

Este ano o Slide The City aconteceu nos dias 13 e 14 de agosto. O grande escorrega inflável foi montado na Lownsdale Avenue, uma ladeira normalmente bem movimentada em North Vancouver.

Slide the City North Vancouver.Viajadora

O tobogã visto de baixo, na chegada…

Slide the City.Vista aérea

…e a vista aérea dele. (Peguei essa foto no site do Slide the City e não é em North Vancouver, mas o tobogã é o mesmo, que viaja de cidade para cidade)

Slide the City em North Vancouver: Quanto custa participar

Comprei nossos ingressos no site oficial do Slide The City e paguei US$40 cada um mais taxas, totalizando uma facada de quase 90 dólares americanos. Esse ingresso dava direito a descer três vezes, mas também havia a opção de comprar o ingresso que dava direito a descer quantas vezes quisesse, por US$ 70, ou uma vez só, por US$ 20. Na hora os ingressos estavam bem mais caros.

Os preços são em dólares americanos porque o evento é americano. Eu achei absurdamente caro, mas acreditei que valia a pena por ser uma coisa diferente, uma experiência pra se ter uma vez na vida e bla bla bla. O ingresso dava direito a uma bolsinha impermeável e a uma boia que a gente tinha que encher na hora.

Como foi a experiência

Na hora em que se compra o ingresso, é preciso escolher uma das três faixas de horário para participar. Nós escolhemos a faixa de 15 às 17h, por achar que teria menos fila e para poder chegar lá com calma.

Chegamos exatamente às 15h e tinha fila para pegar a boia, depois fila pra enchê-la e depois, finalmente, fila para descer no tobogã. A fila para encher a boia demorou tanto que a gente acabou enchendo no fôlego mesmo, e a fila pra descer no tobogã estava levando cerca de 20 minutos.

Enchendo a boia Slide the City North Vancouver

Eu e Thiago enchendo a boia enquanto aguardávamos na fila. Otimizaçâo do tempo é isso aí! haha

A fila para descer no Slide The City.North Vancouver 2016.Viajadora

A fila pra participar da brincadeira, com a vista para o mar do alto da Lonsdale Avenue, em North Vancouver

A altura mínima para descer é de 4’6″ (1,38m) mas eu vi várias crianças minúsculas descendo. Além disso, quem quisesse levar a própria boia podia, por isso tinha gente com todo tipo de boia. Foram esses dois fatores que atrapalharam a minha primeira descida e me deixaram com muita raiva durante o dia. Deixa eu explicar:

Na minha primeira descida, tinha uma família com uma menina de menos de 5 anos (a idade mínima é 6), muito magrinha e com uma daquelas boias da baleia Shamu, que definitivamente não são feitas para deslizar no tobogã. Essa menina foi na minha frente e, pela mistura de falta de tamanho/peso para descer, o uso de uma boia que não é aerodinâmica e a falta de esperteza infantil, foi empacando ao longo do caminho e os voluntários tinham que ir empurrando ela de tempos em tempos. Eu já estava irritada com isso, e aí o voluntário que estava controlando me mandou ir logo depois dela.

Eu fui, e a ordem era ir de cabeça, para a boia deslizar melhor. Fui ganhando velocidade ao longo do caminho e, quando estou lá na metade, vejo a menina empacada bem no meio. Tentei frear, mas indo de cabeça não consegui e, como resultado, fui de cabeça direto na cabeça da coitada, e assim descemos o resto do caminho, com a garota chorando desesperada e eu tentando em vão frear para não machucá-la mais ainda. Bati com a cabeça tão forte que fiquei com dor o resto do dia, e não quero nem imaginar como a pobre criança devia estar se sentindo depois de ter sido massacrada por alguém umas cinco vezes mais pesada do que ela.

Descida no Slide the City

Peguei essa foto no site oficial do Slide The City pra mostrar como é descer de cabeça. Parece bem melhor do que é na realidade! haha

Levantei com muita, mas muita raiva do despreparo da equipe, da bagunça, de deixarem crianças sem o tamanho mínimo participarem, de deixarem usar essas boias ridículas que não deslizam direito e da dor de cabeça que eu estava sentindo. Mas já tinha pagado, então descemos mais uma vez.

A segunda descida até foi legal, mas tem uns calombos no percurso que fazem a gente ganhar muita velocidade, e você chega a mil lá no final, onde é uma confusão danada de gente saindo, voluntário andando tentando ajudar, gente fotografando e aquela água preta nojenta acumulada. Achei estressante, irritante e fiquei com medo de me machucar de novo, mas fora isso até que foi legalzinho. Mas foi suficiente também, nem quisemos descer pela terceira vez a que tínhamos direito.

De lá fomos descendo a rua aproveitando que estava fechada para os carros e parando nas várias barraquinhas de comida e artesanato ao longo da Lonsdale Avenue. O que achei mais legal do evento é que também tinha um palco com música e várias atrações, e as barraquinhas davam um ar de feirinha em cidade de praia muito gostoso para o dia lindo e quente de verão.

Slide the City North Vancouver: Vale a pena?

Como uma coisa para riscar da lista de coisas que eu tinha vontade de fazer na vida, certamente valeu a pena. Mas eu nunca, jamais gastaria esse valor para ir de novo. Pra falar a verdade, acho que se ano que vem me oferecessem de ir de graça eu nem sei se aceitaria. De qualquer forma, acho que teria valido a pena comprar uma descida só, mas fiquei com medo de ser tããão legal que eu ia querer ir várias outras vezes. Enfim, foi legal por uma vez, agora não quero mais não, obrigada. haha

O toboágua pode não ter sido essas coisas todas, mas eu realmente amei o clima praiano, o sol e as barraquinhas. Isso por si só me faria ir de novo ano que vem… O tobogã eu deixo para as crianças, mais dispostas a encarar essas furadas. #AVelha #Adultona #Rabugenta

Thais Freitas. Slide the City em North Vancouver.Viajadora

Eu e minha boia, que eu adorei e pretendo usar em outras oportunidades! haha

Dicas para quem vai participar do Slide the City

– Não tem lockers por lá, então tudo que você levar deve descer com você no tobogã. A bolsinha que eles dão é relativamente impermeável e pequena, então é bom levar pouca coisa e tudo dentro de sacos plásticos.

– Vá de chinelo de dedo, é mais fácil pra tirar lá na hora e descer.

– É meio zuado lá mesmo, então não vá esperando muita organização ou segurança no toboágua . (Nunca imaginei que iria falar isso de um evento no Canadá)

– Compre seu ingresso com antecedência pelo site para pagar menos.

– Evite ir atrás de garotinhas de 5 anos com 10 kg e boias idiotas da baleia Shamu

Slide the City.Fila para o tobogã em North Vancouver

Olha lá a danada da boia da baleia Shamu, que raiva! hahaha

Como chegar ao Slide the City

O fim de semana do Slide the City é também o fim de semana sem carro na região, por isso é importante ir de transporte público. E fácil também: pra quem sai de Vancouver, é só pegar o Seabus (a barca) na estação Waterfront e, depois, ir andando por uns 10 minutos até a Lonsdale Avenue. Ou então, pegar um ônibus na saída do Seabus para quem estiver com preguiça de subir a rua a pé.

Pra quem quiser saber o que tem nos arredores e como tudo é organizado, vale dar uma olhada também no Funcity_map, o mapa que a organização do evento manda na véspera para quem vai participar.


-> Confira opções de hospedagem em Vancouver clicando aqui.

-> Confira opções de hospedagem em Downtown Vancouver clicando aqui.


Confira outros posts sobre viagens no Canadá:

Sea to Sky Gondola: Passeio imperdível entre Vancouver e Whistler

HI-Whistler: Hospedagem barata em Whistler

Capilano Park, Vancouver: Ponte suspensa e arvorismo em uma floresta centenária

Grouse Grind: a trilha mais famosa dos arredores de Vancouver

Buntzen Lake: lago para nadar nos arredores de Vancouver (fácil de chegar de ônibus!)

Churrascaria brasileira em Vancouver: Vale a pena comer na Rio Brazilian Steakhouse?

13 coisas que você precisa saber para fazer uma road trip nas Rocky Mountains

Onde ficar em Banff (se quiser economizar): Spruce Grove Inn


 

Leia também:

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>