Pré-natal no Canadá: Primeiro trimestre da gravidez em Vancouver

Pré-natal no Canadá: Primeiro trimestre da gravidez em Vancouver

Foi só quando engravidei que descobri que não sabia praticamente nada sobre o que era estar grávida, os exames, a preparação necessária e o turbilhão de sentimentos estranhos que surgem com essa grande mudança na vida do casal. Estar longe da família e do sistema de saúde ao qual eu estava acostumada não facilitou o meu primeiro trimestre da gravidez em Vancouver.

Outra coisa que percebi, também, é que muitas brasileiras que moram ou querem vir morar no Canadá também passam ou vão passar por uma situação parecida quando engravidarem, e que eu não estou sozinha com todas as minhas dúvidas. Foi por isso que resolvi fazer esses posts sobre a minha gravidez em Vancouver, para dividir a minha experiência e, quem sabe, conhecer e ajudar outras futuras mães na mesma situação.

Então, para começar – e eu sei que já estou atrasada! – vou falar sobre o primeiro trimestre da gravidez no Canadá, como descobri, os exames de pré-natal do primeiro trimestre e meus sentimentos com tudo isso:

Como descobrimos e confirmamos a gravidez

Como comentei no post sobre o que consideramos para decidir engravidar no Canadá, minha gravidez foi planejada e, por isso, uns dois meses depois de ter parado de tomar a pílula anticoncepcional, eu meio que já sabia quando minha menstruação, super pontual, atrasou um dia e eu estava me sentindo estranha de uma forma geral. Thiago comprou o First Response Pregnancy Test na farmácia e eu fiz em casa, em uma sexta-feira de maio depois do trabalho, e tive um mini-ataque cardíaco quando os dois tracinhos apareceram indicando positivo. Acho que não importa o quão preparada você esteja, essa notícia sempre vai ser um choque!

Eu estava comendo sushi e tomando vinho quando descobri, duas coisas que gestantes não devem fazer, então, para evitar outros comportamentos prejudiciais ao bebê, fui logo na manhã seguinte à walk-in clinic onde a gente costuma ir para uma consulta inicial e ver as orientações para os próximos passos. Lá me deram um potinho para fazer exame de urina e, minutos depois, confirmaram a gravidez e me chamaram para a consulta.

Na consulta, a médica perguntou como eu estava me sentindo, se eu queria seguir com a gravidez e se tinha o suporte necessário, e me recomendou começar a tomar o Materna, um suplemento nutricional para gestantes, uma vez ao dia. Em seguida, explicou que eles não fazem acompanhamento de gravidez na walk-in clinic e, como eu não tinha médico de família, me recomendou escolher um médico especializado no Pregnancy Vancouver, um site excelente que o sistema de saúde de British Columbia mantem com todas as informações básicas que a gestante precisa. Na lista de médicos especializados em maternity care, escolhi uma clínica pertinho de casa e marquei a primeira consulta para o início do mês seguinte, quando estaria com cerca de oito semanas de gravidez.

Thais Freitas no Lynn Park no verao de 2017.Primeiro trimestre da gravidez no Canada.Engravidar no Canada.Viajadora

Primeira foto ao ar livre com a barriguinha de grávida! Eu estava com umas 8 semanas, pegando sol no Lynn Park, em North Vancouver, e passando muuuito mal nos intervalos! haha

As duas primeiras consultas com o maternity care doctor

Eu queria ter marcado o quanto antes, mas os canadenses não têm a mesma pressa de marcar consultas de pré-natal que os brasileiros têm com os planos de saúde e serviços particulares no Brasil. Então, na minha primeira consulta eu já sabia que estava grávida há semanas, e já doida pra fazer uns exames, mas a médica me avisou que aquela ocasião seria só para conversar, e ela passaria os exames depois.

A primeira consulta foi bem longa nos padrões canadenses, levou uns 50 minutos, e a médica me avisou que seria assim, só com ela me perguntando sobre a minha vida para se certificar de que estava tudo bem e de que eu receberia todo o suporte necessário para que tudo corresse bem. Ela me perguntou sobre:

  • Meu histórico de saúde e o da minha família
  • Se eu já tinha engravidado antes
  • Se a gravidez era planejada e se eu queria manter o bebê (o aborto é legalizado no Canadá)
  • Se o pai estaria presente ao longo da gravidez e para cuidar do bebê depois
  • Se eu tinha condições financeiras de cuidar do bebê e passar por uma boa gravidez (disse que sim mas fiquei curiosa, então ela disse que, se eu não tivesse, o governo me ajudaria, mas não me aprofundei nesse assunto)
  • Como eu estava me sentindo de uma forma geral, se estava contente e aceitando bem a minha situação

Com essa conversa eu me senti segura e confiante de que tudo daria certo, e achei bem bonitinho ver como eles se preocupam em ver se a mãe está bem e se tem o suporte necessário e condições de seguir com a gravidez, ao contrário do Brasil, em que só se preocupam em proibir o aborto sem dar a mínima para como a mãe e a criança vão ficar durante e depois da gravidez. Ao final do papo, a médica me perguntou se eu tinha preferência de hospital para dar à luz e disse que a equipe da clínica faz os partos no BC Women’s Hospital, considerado um dos melhores por aqui, então, claro, aceitei e disse que queria seguir com eles. Em seguida ela me passou a requisição dos exames, me falou para seguir tomando o Materna, explicou que até a 30ª semana da gravidez as consultas seriam mensais e, a partir da próxima consulta, eles passariam a acompanhar meu peso e os batimentos cardíacos do bebê a cada consulta.

Já a segunda consulta médica, um mês depois, teve mais cara de Canadá: a médica só perguntou como eu estava me sentindo, mediu minha pressão, ouviu os batimentos cardíacos do bebê para ver se estava tudo certo e perguntou se eu precisava de alguma coisa. Eu disse que estava com muito enjoo e mal estar e ela então me receitou tomar o Diclectin, um remédio para enjoo em grávidas, três vezes ao dia (falo mais dele abaixo), e disse que se não melhorasse era pra marcar outra consulta para ver outra solução. Antes do meu encontro com a médica, uma enfermeira pediu que eu coletasse uma amostra de urina no banheiro do consultório (de praxe por aqui) e mediu meu peso e altura. Não gastei nada em nenhuma das consultas, assim como não vou gastar com o restante do pré-natal e do parto, porque é tudo coberto pela saúde pública canadense.

Os exames solicitados no primeiro trimestre da gravidez no Canadá

Nas duas primeiras consultas de pré-natal, a médica solicitou os seguintes exames para o primeiro trimestre da gravidez:

  • Ultrassom do primeiro semestre (a ser feito entre 7 e 13 semanas): Para ver se a gravidez está se desenvolvendo direitinho e estimar a data do parto
  • Exame de sangue completo e exame de urina
  • Exame de sangue opcional para verificar possíveis alterações genéticas no feto (deve ser feito em duas etapas, a primeira entre 9 e 13 semanas, e a segunda, entre 15 e 20 semanas). O nome desse exame é Serum Integrated Prenatal Screening (SIPS).

Na consulta, a médica me perguntou se o meu exame preventivo (aquele que a gente faz uma vez por ano no Brasil e a cada dois anos aqui) estava em dia e, como eu tinha feito há menos de um ano, não precisei fazer outro. Além desses exames, a cada consulta mensal eles pegam uma amostra de urina na clínica para exame também.

Eu fiz os exames de sangue na LifeLabs, uma rede de laboratórios aqui em Vancouver, e foi tudo bem tranquilo. Uma coisa interessante daqui é que os laboratórios mandam os resultados direto para o médico, eles nem chegam a passar pela nossa mão. Se os resultados forem bons, o médico comenta na próxima consulta, se indicarem algum problema, o consultório médico te liga para marcar uma consulta urgente. Bem simples e prático!

A ultra eu fiz na Downtown Radiology na filial da Keefer Street, em Chinatown. Correu tudo bem, mas não indico e não quis fazer a outra lá por motivos de: não sou Chinesa e todo mundo lá era chinês, me senti meio perdida e foi difícil de me comunicar. haha Quem marca o ultrassom para a gente é a secretária da clínica médica, que depois telefona para dizer a data, por isso é importante deixar claro com ela(e) onde você gostaria que fosse feito o seu exame.

Ultrassonografia de 9 semanas de gravidez.primeiro trimestre da gravidez no Canada.Viajadora

Um feijãozinho com coração batendo a 150 bpm! A ultrassonografia das minhas 9 semanas de gravidez

Que terror esse primeiro trimestre!

Tanto minha mãe como minhas amigas que tiveram filhos falaram que passaram por uma gravidez tranquila, com pouco ou nenhum enjoo ou mal estar, e podendo fazer quase tudo que gostavam normalmente. Na minha inocência, acreditei que seria assim comigo também, mas estava muito enganada!

Eu sofri com um enjoo terrivel até a 16ª semana de gravidez, e de vez em quando ainda passo mal com isso. Ao longo do primeiro trimestre, teve dias em que cheguei a vomitar oito vezes, ao ponto de minha garganta sangrar e eu mal me aguentar em pé! Nunca me senti tão sem energia, e com isso acabei tendo que dar um tempo na musculação, que eu amava, e meu rendimento no trabalho diminuiu muito, já que tive que sair mais cedo várias porque não conseguia parar de vomitar. Não foi nada fácil! A minha sorte foi que meu chefe e colegas são super tranquilos e tiveram a maior paciência.

A minha alimentação também ficou bem prejudicada no primeiro trimestre, já que além de não ter ânimo nenhum de cozinhar em casa, peguei uma verdadeira aversão a verduras e legumes (só de pensar em uma folha de alface eu já vomitava, sério! haha). Com isso, eu, que sempre fui bem disciplinada para comer, acabei comendo muita massa, muita pizza e muito hambúrguer, mas sem culpa, já que a prioridade era conseguir que alguma coisa parasse no estômago sem que eu me sentisse tão mal. Os restaurantes que mais me ajudaram nesta fase por aqui foram o Hungry Guys Kitchen, que vende um pratinho com arroz, feijão e carne; o Pacifico Pizza e o The Distillery, que vendem minhas massas favoritas, e o Red Robbin, que tem os melhores burgers da cidade, na minha humilde opinião.

Os estagios do primeiro trimestre da gravidez.5 semanas 9 semanas e 14 semanas.Engravidar no Canada.Viajadora

A evolução da barriga no primeiro trimestre da gravidez: com 6 semanas, quando eu ainda estava conseguindo ir malhar; depois com 9 semanas e, finalmente, com 14 semanas, a semana final do primeiro trimestre do terror!

Alguns remédios e produtos que me ajudaram a passar pelo primeiro trimestre

Peguei dicas com várias pessoas de produtos úteis para tornar o primeiro trimestre da gravidez mais suave, além das recomendações da minha médica, claro. Os da lista abaixo foram os que realmente me ajudaram e foram úteis para mim:

Dieclitin – Esse é o remédio para enjoo que os médicos indicam para a gravidez no Canadá. É uma mistura de anti-histamínico com vitamina B e até que funciona direitinho. Só é vendido com receita médica.

Suplemento alimentar MaternaUm suplemento alimentar tipo o Centrum, só que para grávidas, com todos os nutrientes que a gestante e o bebê precisam ao longo da gestação, como o ácido fólico, que é super importante para a formação do tronco neural do bebê no primeiro trimestre da gravidez.

Balas de limão sem açúcar Fisherman’s Friend Todo mundo fala que picolé de limão ajuda com os enjoos, mas para mim eles não fizeram muita diferença. Em vez do picolé, eu usava muito essas balinhas de limão sem açúcar da Fisherman’s Friend, que na verdade são para dor de garganta mas me ajudavam muito com os enjoos e para tirar o gosto ruim da boca depois de vomitar. Agora peguei gosto e até hoje sempre ando com um pacotinho na bolsa!

Creme para acne Neutrogena Rapid ClearMinha pele, que nunca foi das melhores, ficou totalmente oleosa e lotada de acne no começo da gravidez. Minha médica indicou esse creme para espinhas da Neutrogena, que eu aplico em cima das espinhas antes de dormir e ajuda a secar bem a pele. Continuo usando e gosto bastante!

Sabonete para o rosto Lush Coalface Charcoal Facial Cleanser – Este é outro aliado número 1 das gestantes com pele oleosa, já que ele limpa muito bem o rosto sem ter nenhuma substância artificial que faça mal para o bebê (como todos os produtos maravilhosos da Lush, aliás). Eu uso de manhã quando acordo e antes de dormir, e a sensação de limpeza é excelente!

Extensor para calçasEmbora a barriga quase não apareça no primeiro semestre, eu senti que minhas calças começaram a ficar bem apertadas na cintura, então comprei esses extensores baratinhos que me permitiram usá-las por mais um bom tempo. Uma ótima pedida para quem não quer gastar muito dinheiro comprando calças de gestantes.

***

Bom, acho que é isso por agora! Ainda bem que esse primeiro trimestre danado já passou e agora estou passando pelas mudanças do segundo trimestre (vem post em breve por aí!). Se você tiver alguma dúvida ou sugestão para os próximos posts, deixe aqui nos comentários que eu vou adorar saber! :)


Confira outros posts sobre a decisão de ter filhos e a gestação no Canadá:

Engravidar no Canadá: O que consideramos para decidir

Tem mais gente (e novidades) chegando no Viajadora!

Leia também:

Comentários

7 comments

    1. Thaís Freitas
      Autor
      Thaís Freitas

      Oi Janaina!

      Esse e o teste para detectar doencas geneticas que eu mencionei. Entao, eu fiz sim, nao considerei muita coisa nao… sao so dois exames de sangue simples e cobertos pelo MSP, fui la e fiz. rs
      O exame indicou risco baixo para tudo. Voce fez?

      Bjs

      1. Janaina

        Oi Thais,

        Esse não é coberto pelo MSP, é um particular que é mais preciso para doenças como síndrome de down e revela o sexo, ele é feito com 10 a 12 semanas. Nós fizemos o primeiro ultrassom ontem e estávamos calculando 9 semanas, mas o ultrassom acusou 6. Estamos considerando fazer esse exame pois informaram que as informações são mais precisas. Nós vamos seguir o pre natal e parto com midwife, e o parto vai ser no BC Women’s tb.

  1. Thaís Freitas
    Autor
    Thaís Freitas

    Aaaah ta, entao, a medica me disse que o SIPS ja seria suficiente, entao nao quis fazer esse outro nao, embora estivesse morrendo de curiosidade para saber o sexo, achei carissimo (no Lifelabs me disseram que eh $500).

    Legal sobre a midwife! Gostaria de fazer com midwife tb, mas nao tenho coragem de largar a medica! hehe Boa escolha sobre o BC Women’s Hospital, todo mundo fala que eh o melhor de BC… vamos descobrir! :)

  2. Mel

    Oi Thaís! :)
    Nos falamos há quase dois anos aqui pelo blog… moro em Yaletown tbm, acabei de ver a notícia e fiquei muito feliz por vcs.
    Beijo grande!
    Mel

    1. Thaís Freitas
      Autor
      Thaís Freitas

      Oi Mel!
      Que legal! Bom saber que você veio para Vancouver e agora somos vizinhas em Yaletown (até o final do mês pelo menos, porque estou de mudança! hehe). Como está a vida em Vancouver? :)
      Beijão!

      1. Mel

        Ahhh…vão se mudar de Yaletown?
        A vida tá boa, quase dois anos já, passa voando.
        Vou continuar acompanhando o blog… Adoro ler teus posts :)
        Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>