Os melhores passeios de barco em Railay Beach

Os melhores passeios de barco em Railay Beach

e você nos acompanha por aqui, a esta altura já entendeu porque precisa conhecer Railay Beach e viu a nossa sugestão de quantos dias ficar e o que fazer por lá. É tanta opção e tanta coisa legal que um post só não ia dar conta de mostrar a maravilha que é esse lugar. Pra fecharmos a conta, aqui vai mais um, desta vez falando mais detalhes sobre as opções de passeios de barco em Railay Beach.

Os passeios de barco disponíveis em Railay Beach

Existem inúmeros passeios de barco saindo de Railay Beach e é muito fácil contratá-los. É possível fazer isso de basicamente 4 maneiras:

1) Direto no seu hotel: A maioria dos hotéis oferece este serviço,

2) Nas agências que ficam na rua de Railay East: É lá que vendem uma infinidade de passeios e a maioria saindo com barcos e lanchas grandes, para um maior número de pessoas,

ou, como fizemos,

3) Contratando direto um barqueiro e seu long tail (aqueles barquinhos tão característico da Tailândia) para seu grupo. Eles ficam zanzando pelas praias com plaquinhas na mão, ou em umas barraquinhas na areia, bem fáceis de achar. Dependendo do número de pessoas, esta opção pode sair mais cara em comparação às outras, mas na nossa opinião é sem dúvida a mais legal, já que é mais exclusiva e acontece no tempo de cada um.

É possível contratar transporte de barco para qualquer ilha da região, mas aqui vamos falar dos passeios que fizemos saindo e voltando de Railay. São basicamente 3 os que eles chamam de “day tours”: para Phi Phi Island, para Hong Island e para as Four (ou Five) Islands. Nós fizemos estes dois últimos e adoramos! Dá para separar um dia para cada um deles, mas é legal saber que vai sobrar tempo antes, ou depois, para curtir um pouco de Railay, já que os passeios não duram exatamente o dia inteiro. Uma dica é curtir bastante o hotel. Nós ficamos no Sand Sea Resort e contamos neste post como ele merecia mesmo ser bem aproveitado.

passeio-de-barco-railay

Um dos paredões e um dos tons de azul dos arredores de Railay: linda combinação

Como é o passeio para Hong Island

Este foi o meu passeio preferido! Com duração de aproximadamente 3h30 a 4h, o long tail que fechamos só pra gente custou 3.000 bahts. Estávamos em 4 pessoas (eu, o Diogo, o Robson – já falei dele aqui, né? É o autor do blog Um Viajante – e o Rafael, um brasileiro que estava viajando sozinho e que acabou se juntando a nós, já que queríamos mais alguém pra dividir o barco e acabou sendo uma excelente companhia), e o valor por pessoa ficou em 750 bahts para cada, ou seja, mais ou menos R$ 75 na cotação da época. Apesar de ouvir falar muito que é fácil negociar preço, nós não conseguimos. Ou demos azar ou não somos mesmo bons nisso, mas pensando que tivemos um barco só pra gente, em vez daquelas lanchas lotadas, achamos que valeu bem à pena, mesmo pagando quase o dobro para isso. Ah, para este passeio todos precisam pagar a taxa de preservação da ilha, já que ela fica em área de parque ambiental. Mas é baratinha: apenas 300 bahts por pessoa.

A primeira parada do passeio é na Hong Beach. Que praia! Chegamos lá antes da chuva de barcos de turistas vindo de todas as partes e parecia que estávamos no paraíso: água cristalina, num tom de azul esverdeado inesquecível, junto à toda aquela vegetação intocada. Aproveitamos bastante para mergulhar e caminhar pela areia, e a dica aqui é conversar com o barqueiro e tentar chegar bem cedo ou então mais tarde, para conseguir aproveitar o lugar vazio, como fizemos. Na hora que fomos embora a praia já estava bem cheia.

Hong Beach vista do mar

Hong Beach vista do mar

atracadouro hong beach

Chegada a Hong Beach ainda com quase nenhum barco

Linda e vazia

Linda e vazia

tronco árvore hong beach

É beleza pra um lado…

hong beach barcos ao fundo

…e para o outro!

mariana viajadora hong beach banquinho

:D

placa tsunami hong beach

Plaquinha lembrando que é pra relaxar, mas nem tanto!

mariana diogo hong beach

Nós no paraíso vazio vazio

<3 <3 <3

A segunda parada do passeio é na Hong Lagoon, que, se é que é possível, é ainda mais linda do que a Hong Beach. Também chegamos por lá com o lugar vazio e foi incrível entrar com o barquinho entre dois paredões e dar de cara com aquele tom verde da água, rodeada pelas rochas tão características da Tailândia. Nós não seguimos o trajeto que a maioria dos passeios de barco faz e este provavelmente foi o motivo de termos chegado lá e encontrado os barquinhos indo embora e ficando tudo aquilo só pra gente. O nosso barqueiro sugeriu que trocássemos a ordem das coisas – ir na Hong Beach antes da Hong Lagoon -, e por este motivo conseguimos pegar os dois lugares vazios. O ruim disso foi que não vimos o fundo da Lagoa e o degradê de cores que isso deixa na água na maré mais baixa, mas gostamos muito de ficar boiando por ali e curtindo o visual com o lugar só pra gente. A Hong Lagoon fica ainda mais bonita na maré mais baixa, quando é possível ver o fundo do mar e a água fica ainda mais cristalina. O problema é que aí todos os barcos de passeio estão lá e você precisa dividir o paraíso com todas as pessoas. Acabamos preferindo lugares mais vazios a seguir à risca a melhor maré. De qualquer forma, se você quiser ver a Lagoon como nas fotos da internet e nos panfletos que distribuem por lá, vale conversar sobre a maré e calcular o melhor horário do passeio.

entrada hong lagoon

A entrada na lagoon. Chegamos enquanto o pessoal saía

hong lagoon vegetação

E essa cor e vegetação? <3

long tail boat hong lagoon

Tudo nosso! <3

hong lagoon boiando

É uma delícia ficar boiando por ali

sombra hong lagoon

Encontramos até uma sombrinha delícia

entrada saída hong lagoon

A entrada e saída da Hong Lagoon, vista de dentro

Como é o passeio das Four ou Five Islands

Este passeio tem duração de 5 horas e custa um pouco menos. Fechamos no mesmo esquema, um long tail para nós quatro, e conseguimos negociar de 2200 bahts, por 2000 bahts, em torno de R$ 50 por pessoa.

Alguns chamam de 4 Islands, outros de 5 Islands e para este passeio sim é bem importante ficar atento à tábua da maré. Isso porque só é possível ver uma faixa de areia que liga duas ilhas na maré baixa mesmo. Com isso em mente, combinamos o passeio de 11h às 16h com o barqueiro.

A primeira das ilhas foi a Chicken Island, em um ponto para mergulho de snorkel. Não sei se demos azar, mas não conseguimos ver muitos peixes. De qualquer maneira, o lugar é lindo para se ficar boiando e curtindo a água e o visual.

chicken-islands

Ali a tal chicken, que dá nome à ilha

chicken-island-boiando

Vidinha mais ou menos!

A segunda parada é na Tup Island, onde na maré baixa é possível ver a faixa de areia que liga ela a outra ilhazinha menor, a Mor Island. Nós não chegamos lá na maré mais baixa de todas, mas ficamos por lá para vê-la baixando e foi legal ver a diferença no tom do azul conforme a areia ia surgindo. Na Mor Island ficamos bastante tempo com o snorkel e ali sim foi possível ver muitos peixes.

Mor Island, vista da Tup Island

Mor Island, vista da Tup Island

Tup Island e Mor Island

Os meninos e as duas ilhas

mor island passeio de barco

Em Mor Island a água é bem clarinha e ótima para snorkelling. Ao fundo a Tup Island

banco de areia tup island

O banco de areia já bem aparente na hora da nossa partida

banco de areia mor e tup island

Lindo o banco de areia visto do mar <3

De lá, seguimos para a terceira parada do passeio (ou quarta, se contar Tup e Mor como duas ilhas), para a Poda Island, uma ilha maior e mais movimentada, com uma pedra enorme na frente, super fotografada. Esta ilha tem uma estrutura maior, com quiosque e bastante espaço para os muitos turistas esticarem suas esteiras e cangas e ficarem curtindo o visual de baixo da sombra das árvores. Apesar de mais cheia, uma delícia também!

barcos poda island

Estacionamento de barcos em Poda Island

A famosa pedra de Poda Island ao fundo

A famosa pedra de Poda Island ao fundo

relax poda viajadora

Poda é uma delícia pra relaxar

De Poda Island nosso passeio terminou, mas tem quem faça este passeio com uma quinta parada na Phranang Cave Beach, que fica em Railay mesmo, como contei neste post. Como estávamos hospedados por lá, não tivemos esta parada. Isso é o que imaginamos e o que descobri pesquisando depois, porque não conseguimos nenhum nível de comunicação a não ser por mímica com o nosso barqueiro. hahaha

Só pode escolher um?

Se você estiver com o tempo apertado e não conseguir fazer os dois passeios, eu recomendaria fazer só o da Hong Island, por ser mais diferente do que você vai ver em outras praias e ilhas da Tailândia. Agora, se você for do tipo que gosta de mergulhar e fazer snorkelling, talvez prefira o das Four/Five Island, e talvez tenha mais sorte do que tivemos. Mas no fim, eu recomendo mesmo que você adicione dias ao seu roteiro em Railay Beach e faça os dois passeios. A praia mais bonita da Tailândia merece ser explorada com calma. :)


-> Confira o review do hotel em que ficamos – e amamos – em Railay Beach

-> Confira outras opções de hotéis em Railay Beach


Confira nossos outros posts sobre a Tailândia:

O que fazer em Railay Beach e quantos dias ficar por lá

Por que conhecer Railay Beach, a praia mais bonita da Tailândia

Onde ficar em Railay Beach: Sand Sea Resort

Quantos dias ficar e o que fazer em Chiang Mai

Trem noturno de Ayutthaya para Chiang Mai

Ayutthaya, Tailândia: o que você precisa saber para visitar

Quantos dias ficar e o que fazer em Bangkok

Songkran: a experiência de participar do festival da água na Tailândia

Songkran: como é celebrado o ano novo na Tailândia.

Planejando uma viagem pela Tailândia: dicas de roteiro, o que levar, aonde ir…

10 razões para visitar Phuket quando for à Tailândia

Full Moon Party em Koh Phangan: Reveillon inesquecível na Tailândia

Tailândia: O que fazer em uma semana em Koh Phi Phi

E mais sobre o Sudeste da Ásia, se for esticar: 

Mini-cruzeiro em Halong Bay, Vietnã: inclua em seu roteiro no Sudeste da Ásia

Kopi Luwak: experimentando o café mais caro do mundo em Bali

Indonésia: uma semana de alegria nas Gili Islands

Para ler: Histórias reais de fantasmas de Singapura

Livro de viagem (apesar do título): “Primeiro eles mataram meu pai” (sobre o Camboja)


 

Leia também:

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>