Para ler: Histórias reais de fantasmas de Singapura

Para ler: Histórias reais de fantasmas de Singapura

Enquanto muita gente gosta de procurar lojas de roupas quando viaja, eu fico maluca é quando vejo uma livraria. Adoro comprar livros de autores locais por achar que essa é uma das melhores formas de conhecer a história e a cultura do lugar que se está visitando. Nas livrarias locais a gente encontra obras que nunca veríamos na maioria das lojas brasileiras, e isso abre um mundo de possibilidades de conhecimento e criatividade. E de quebra, ainda dá para conhecer aspectos interessantes do país e da cultura que nós provavelmente não aprenderíamos apenas lendo matérias e posts de turismo.

Foi o que aconteceu comigo quando encontrei o livro True Singapore Ghost Stories 18 nas prateleiras de uma livraria em Singapura. Além de ler histórias de fantasma divertidas, foi um jeito muito legal e interessante de saber mais sobre aspectos culturais e religiosos de Singapura e da Ásia em geral.

Histórias de Fantasma: a coleção True Singapore Ghost Stories e por que ela é tão legal

Ainda sem tradução para o português, a coleção de histórias de fantasma True Singapore Ghost Stories (que poderia ser traduzida livremente como “Histórias Reais de Fantasmas de Singapura”) é uma das mais famosas do país, com mais de um milhão de cópias vendidas. Foi criada em 1989 pelo autor Russell Lee e, desde então, já foram lançados 25 livros, todos com cerca de 50 histórias, reportagens e entrevistas que abordam a paranormalidade e o lado sobrenatural de alguma forma, mas de um jeito divertido e fácil de ler, bom para leitores de qualquer idade.

As histórias de fantasma, que se passam em sua maior parte na Ásia, chegam até o autor por pesquisa e, principalmente, pelo envio de colaborações dos leitores que querem contar suas experiências. E essa é a parte mais legal, porque aí você pode ir vendo direitinho como a cultura e as religiões asiáticas, como o taoísmo e o xintoísmo, por exemplo, influenciam na forma de pensar e nas crenças populares das pessoas, além de conhecer várias lendas urbanas famosas da região.

É tudo muito diferente do que estamos acostumados no Brasil, e com essas histórias a gente acaba entendendo o propósito de coisas que vê nas ruas asiáticas e acha que são só enfeites sem importância. É o caso de duas esculturas idênticas que existem na entrada de algumas casas e estabelecimentos comerciais. Eu sempre via e achava bonitinho e tal, mas nunca achei que era nada de mais. Até que li em uma das histórias de fantasma do livro um cara contando que comprou um apartamento em Singapura e passou a ser assombrado por uma enorme variedade de fantasmas. Aí chamou um médium chinês para ir lá e ele logo identificou a raiz do problema: as duas esculturas na porta da casa, conhecidas como “Door Gods”, que servem como proteção, estavam desalinhadas, o que acabou abrindo um portal para que todo tipo de espírito entrasse na casa.

histórias de fantasma imagens de Door Gods na porta de uma casa na Ásia

Exemplo de Door Gods… coloque os seus bem alinhadinhos, hein! (Foto: socalgalopenwallet.blogspot.com.br)

E não podemos esquecer das crenças e hábitos asiáticos que acabamos descobrindo com esses livros também. Um exemplo é o Hungry Ghost Festival, um festival celebrado sempre no sétimo mês do ano chinês, em que as pessoas compram telefones celulares, dinheiro, comida e alimentos – entre outras coisas, tudo feito de papel – e queimam para que os espíritos famintos de seus antepassados possam usar esses objetos do outro lado e, assim, se acalmar. Em uma das histórias de fantasma do livro, um garoto ofereceu um celular no festival e recebeu uma ligação de sua avó falecida, imagina, só! Já em uma outra, fiquei sabendo que os budistas recomendam que a gente nunca corte o cabelo perto de um cemitério, para que o espírito de alguém enterrado lá não pegue os fios cortados e os utilize para se transformar em um clone canibal do dono do cabelo.

 hungry ghost festival histórias de fantasma

Uma imagem do Hungry Ghost Festival, com o pessoal queimando todos os presentes para os espíritos (Foto: huffingtonpost.com)

E por aí vai. São tantas histórias de fantasma interessantes, que se eu fosse escrever tudo o post ficaria gigante. E por mais que elas pareçam bobas ou malucas para nós, ocidentais, não só são uma ótima forma de entretenimento como, também, um jeito fácil e divertido de conhecer aspectos pouco falados da uma cultura tão diferente da nossa, com descontração e pelas palavras de moradores locais em seu cotidiano. Adorei e fiquei com vontade de ler a coleção inteira!

Onde comprar

Como falei antes, infelizmente a coleção True Singapore Ghost Stories não foi traduzida para o português e é difícil achar livros em inglês diferentes e por preços acessíveis nas livrarias por aqui. Se você quiser ler, uma boa ideia é comprar no site da Amazon, clicando aqui,
ou procurar em qualquer livraria quando você estiver viajando pela Ásia. Ah, e essa coleção virou uma série de TV também, se você quiser comprar a coleção em DVD.


 

Leia também:

Comentários

1 comment

  1. Pingback: Para ler: Histórias reais de fantasmas de Singapura - Rede de Blogs Outdoor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>