Ferrari World, Abu Dhabi: Experimentando a montanha-russa mais rápida do mundo

Ferrari World, Abu Dhabi: Experimentando a montanha-russa mais rápida do mundo

Quando o Thiago falou que queria visitar o parque da Ferrari durante a nossa passagem por Abu Dhabi eu concordei, mas só por lembrar daqueles artigos de autoajuda que dizem que a gente precisa aprender a ceder para fazer o outro feliz num relacionamento. haha Já tinha ouvido falar da montanha-russa, mas fui para lá preparada para aguentar uma tarde de tédio vendo todos aqueles carros muito parecidos entre si (pelo menos para mim!) e um bando de homem encantado tirando foto de tudo.

Mas que surpresa foi a nossa visita! No fim das contas eu bem que podia morder a língua: o Ferrari World é muito divertido, mesmo para quem não liga para carros. Tão legal que acabou sendo um dos nossos melhores passeios nos Emirados Árabes, que eu aconselho muito para quem vai passar por lá e, assim como eu, é maluco por montanhas-russas. Afinal, é só lá que dá para andar na Formula Rossa, que é apenas a montanha-russa mais veloz e psicótica do mundo (pelo menos até o dia de hoje, 26/01/2015 haha).

Ferrari World  Abu Dhabi Dubai

Foto: hkyantoyan.com

O Ferrari World e as atrações de lá

Tudo em Dubai e Abu Dhabi é megalomaniacamente rico, ostensivo, brilhoso, exagerado e um tanto cafona. É claro que no meio disso tudo, um parque feito pela Ferrari também tinha de ser uma coisa gigante e impressionante. E assim é: lá de longe já se avista no meio da paisagem desértica o telhado vermelho e com design sofisticado do Ferrari World, construído ao lado do circuito de Fórmula 1 de Abu Dhabi. E quando a gente entra, o maior parque temático indoors do mundo é ainda mais impressionante, com uma área enorme e atrações para todas as idades.

A entrada do parque (Foto: Revista Rumo)

A entrada do parque (Foto: Revista Rumo)

Viajadora-no-Ferrari-World-Entrada-Abu-Dhabi

Eu lá!

O ambiente no interior do Ferrari World é muito amplo, todo climatizado, moderno e com uma iluminação especial. Dá para ver que tudo foi planejado com o maior cuidado e dedicação aos mínimos detalhes, bem à altura dos carros que a Ferrari produz. Ao todo são 16 atrações que, com exceção das montanhas russas, ficam dentro da área coberta. São opções de cinema 4D, simuladores e brinquedos de velocidade que, de um jeito criativo e interessante, vão contando a história da empresa criada a partir do sonho de Enzo Ferrari e reforçando essa posição mágica que a marca ocupa na cabeça dos amantes de velocidade. Até eu, que não gosto de dirigir e sempre detestei Formula 1, saí de lá simpatizando com a Ferrari – principalmente depois de ir no simulador Viaggio in Italia, meu favorito – para você ver como os caras são bons no que fazem.

Exposição-de-Ferraris-Ferrari-World-Abu-Dhabi

A área onde a maioria dos modelos de carros ficam expostos

Além das atrações propriamente ditas, também existem vários carros de diferentes épocas expostos por todo o parque e uma sala com vários deles reunidos. Dá para ver desde os primeiros modelos de Fórmula 1 até modelos clássicos de passeio (carro normal, sabe? Não sei se dá pra dizer que uma Ferrari é carro de passeio… haha) e suas versões mais modernas. Tudo bem bonito e todo mundo fazendo selfies desesperadamente na frente de cada um deles.

Carro-Fórmula-1-Ferrari-World

Tudo que é tipo de carro em exposição e, nas paredes, a história da escuderia e dos pilotos que já correram por ela

Selfie-com-uma-das-Ferraris-em-exposição-Ferrari-World-Abu-Dhabi

A gente não ia perder a oportunidade de fazer uma selfie também! haha

E para quem gosta de fazer compras e está disposto a trocar órgãos do corpo por produtos da marca Ferrari, também existem duas lojas por lá onde dá para comprar desde camisas, chaveiros e ursos de pelúcia até relógios, malas e peças de carro… todos com preços altíssimos, como era de se esperar. Fiquei com vontade de comprar tudo, mas não consegui abrir a mão nem para comprar um imã de geladeira para a minha coleção. Não foi fácil. hahaha

As montanhas-russas… ai minha barriga!

O parque tem duas montanhas-russas, mas como a gente é apressadinho, fomos logo para a Formula Rossa, a atração principal que estávamos tão curiosos para conhecer. A montanha-russa mais rápida do mundo – e a sexta mais longa, com 2km de extensão – não tem loopings nem inversões, o grande lance mesmo é a velocidade. Enquanto as montanhas-russas convencionais começam devagarinho e pegam aceleração mecânica na primeira descida, essa da Ferrari começa em uma grande reta onde o carrinho acelera de 0 a 240 km/h em três segundos, para aí sim subir em alta velocidade uma altura de mais de 50 metros e seguir nessa correria até o fim.

Ficamos uns 10 minutos na fila, eu passando mal de nervoso e dor de barriga como sempre fico antes de fazer alguma coisa que me dá medo. E quanto mais perto chegava da nossa vez, mais apavorada eu ficava. Da fila dava para ver a aceleração do brinquedo e era assustadora. Mas mais assustador ainda foi sentar na primeira fileira do carro, eu sou tão medrosa que estava quase chorando (juro!) enquanto colocava os óculos de proteção e apertava o cinto de segurança. Antes de começar, quando todo mundo já está pronto e seguro, eles ainda deixam a gente parado um pouquinho para aumentar a tensão, com um sinal de trânsito igual aos das corridas de Fórmula 1. E aí sim, quando a luz fica verde, ligam o troço e a aceleração vai a 240km/h num piscar de olhos.

Foi uma das sensações mais bizarras que eu já tive. O ar batendo na pele nessa velocidade na primeira fileira do carrinho dói e a cara da gente fica distorcida com o vento. Dá para ver isso nessa foto *bonita* que compramos lá na hora, tirada bem no momento da aceleração:

Formula-Rossa-Ferrari-World-Abu-Dhabi

Aaaaaaaaainnnn uuuuuuuuurgh!!!

Eu não conseguia berrar e estava meio desesperada, a sensação era de que eu ia sair voando daquele carrinho a qualquer momento. Foi o minuto mais longo da minha vida. Quando acabou e os carrinhos voltaram para a base, eu estava com as pernas tão bambas e tão atordoada, que precisei sentar um minutinho para me recompor antes de seguir para os outros brinquedos. Uma sensação muito louca. Tão intensa que para mim uma vez foi suficiente, nem quis ir de novo. haha Mas eu adorei mesmo, é um daqueles itens para riscar da lista de coisas para fazer antes de morrer.

Formula-Rossa-Ferrari-World-Abu-Dhabi

:)

Para quem quiser ter uma ideia melhor de como é, tem esse vídeo legal feito com o Fernando Alonso e o Felipe Massa testando a Formula Rossa logo que ela foi lançada, ó:

Já a outra montanha-russa, a Fiorano GT Challenge, é mais normalzinha, a graça está no fato de serem, na verdade, duas montanhas-russas entrelaçadas, com carrinhos que disputam uma corrida entre si a 98km/h pelos 1.080 metros do trajeto. Os caminhos são ligeiramente diferentes e cada hora um ganha, por isso é legal ir uma vez no carrinho vermelho e outra no amarelo.

Ah, e para você que tem mais de 1,95, está de parabéns mas nem se anime: não é permitido a maiores de 1,95m andar em nenhuma das montanhas-russas. Não sei exatamente o porquê, imagino que seja pelo risco de bater com a cabeça em algum lugar. E quem está obeso também pode ter problemas: vimos um cara na fila que nem era super gordo, só bem barrigudo, e ele não coube no carrinho da Formula Rossa. Saiu de lá todo decepcionado, tadinho. :/

O que tem para comer no Ferrari World

Existem cinco restaurantes dentro do parque, com opções que vão desde comida tradicional de parques de diversão (hambúrgueres, pizzas e similares), no Rotiscceria Moderna; até um restaurante bem mais chique e sofisticado, o Ristorante Cavallino. Nós optamos por jantar no Mamma Rossella, que tem massas bem gostosas preparadas na hora e preços aceitáveis (mas não baratos, porque nada lá é barato). Eu comi um nhoque delicioso e o Thiago comeu um macarrão a bolonhesa, que também estava muito bom. O ambiente é agradável (só tinha a gente de cliente na ocasião) e os funcionários são bem atenciosos, gostamos bastante.

Nhoque-do-Mamma-Rossella-Ferrari-World-Abu-Dhabi

Meu nhoque do Mamma Rossella… bonzão!

Como chegar no Ferrari World em Abu Dhabi

Se você pegar um dia sem filas, como nós pegamos em uma tarde de outubro, dá para fazer o parque todo em umas três horas. Com isso, sobra tempo para conhecer outras atrações ali em volta, como o parque aquático Yas Waterworld (você pode ir na parte da manhã lá, quem compra um ingresso para um parque ganha desconto para o outro) ou a famosa mesquita de Sheikh Zayed. Por isso, você nem precisa se hospedar em Abu Dhabi se quiser, pode apenas fazer um bate-volta desde Dubai se estiver ficando por lá. (Mas se quiser, aqui estão algumas dicas de hotéis em Abu Dhabi)

Uma coisa que percebemos foi que o pessoal costuma ir no Ferrari World de manhã e na mesquita de tarde, por isso é legal fazer o contrário para pegar ambos mais vazios. Ah, e é interessante evitar ir nas sextas, sábados e feriados, se possível, pois é quando os moradores da região estão de folga e tudo fica bem cheio.

Como estávamos sem carro, contratamos um motorista de taxi para nos levar e nos buscar lá. O valor cobrado é entre 800 e 500 AED (entre +- US$ 220 e US$ 130), dependendo da sua capacidade de barganhar. A boa é que o cara fica cerca de 10 horas à sua disposição para te levar em todas as atrações, então essa é a melhor opção se você estiver com mais gente e sem carro.  Outra possibilidade, bem mais barata, é ir de ônibus. Aí você pega um taxi até a rodoviária e depois um ônibus para Abu Dhabi. Disseram que o trajeto leva cerca de 1h40 e o ônibus é bem confortável, tem ar condicionado, custa 20 AED (uns US$ 5,50) e sai a cada 15 minutos. Para quem vai de carro, tem de pegar a E10 saindo da rodovia E11 e depois entrar na E12 para chegar na região de Yas Island, a ilha artificial onde fica o parque. O caminho é bem sinalizado e a estrada é ótima.

Ferrari World do Google Maps

Muito legal ver o parque pelo satélite do Google Maps. Dá pra ver direitinho como o parque é grande e também a montanha russa mais rápida do mundo

* Para ir direto para o link da imagem acima, no Google Maps, e ver a imagem do satélite, é só entrar neste link aqui.

Horários de funcionamento do parque e quanto custa essa brincadeira

De acordo com as informações do site oficial do Ferrari World, o parque funciona durante os sete dias da semana, de 10 às 20h, mas em épocas de maior movimento o horário pode ser estendido até as 21h. Vale conferir as informações no calendário do parque antes de ir, até mesmo para conferir se todas as atrações estão funcionando.

Os ingressos para o Ferrari World podem ser comprados na hora ou pela internet, pelo mesmo preço, a única vantagem é evitar eventuais filas da bilheteria ao comprar antecipadamente. O valor para adultos e crianças a partir de 1,30m de altura é de 250 AED (+- US$ 68) e para menores de 1,30m (e que consequentemente poderão ir em menos atrações) é de 205 AED (+- US$ 55). Menores de três anos de idade entram de graça. Quem quiser gastar mais, 450 AED (+- US$ 122) para sermos mais exatos, pode comprar o ingresso premium, que dá direito a escapar das filas. Como quando fomos o parque estava bem vazio, não achamos necessário esse ingresso ostentação. haha

mascotes-da-Ferrari-no-Ferrari-World-Abu-Dhabi

Os mascotes vestidos de mecânicos da Ferrari estão te esperando lá! :D


-> Procurando hotéis em Abu Dhabi? Confira os principais aqui.

-> Procurando hotéis em Dubai? Confira os principais aqui.


Leia também:

Comentários

1 comment

  1. Pingback: Ferrari World, Abu Dhabi: Experimentando a montanha-russa mais rápida do mundo - Rede de Blogs Outdoor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>